Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

A DIMENSÃO QUE NÃO TERMINA

Um Preâmbulo Em Uberaba, centenária cidade do Triângulo, o primeiro número de Dimensão vinha a lume em Julho de 1980. “Uma simples revista de poesia”, escreveu então seu editor. O futuro se encarregaria de desmentir o título do primeiro editorial, porém se manteria constante através dos anos o propósito do novo periódico. “E´esse, apenas esse, o compromisso desta revista, mais uma entre tantas, mortas, existentes ou ainda por existir: efetivo compromisso com a qualidade da poesia”. O compromisso com a qualidade da poesia manteve-se durante os trinta números da publicação. Ao longo dos seus quase vinte e um anos de circulação (Julho de 1980 – Abril de 2001), é um marco de sua excelência. Outras balizas foram atingidas no curso do tempo, levando... (leia mais)

Aricy Curvello




DEUS EX-MACHINA

Gostaria de falar não dum recurso técnico de última hora, ou de mágica inexplicável do computador. Mas sim, de um “Deus que desce por meio de uma máquina”, amorfo, subentendido, perversamente escondido em todas as frases, sons e imagens da violência atual. Tenho me encontrado com um certo “DEUS EX-MACHINA” com freqüência, embora o tente repeli-lo, ele tem insurgido insistentemente em quase tudo que leio, assisto e vejo. É possível demonstrar sua presença atualmente em mais de 80% do que se escreve, filma ou televisiona. Fica difícil explicar à luz da lógica, esta capacidade milagrosa dos “mocinhos”, “heróis” atuais de escaparem ilesos das cenas violentas a que são submetidos. São “Imagens”, “Sons” e “Letras”, que surgem não sei donde;... (leia mais)

Gilmacedo




Default



   > Valentino Cabresto

  AUTOR  
 
Valentino Cabresto
Nesta vida! Quem acha que manda: é o primeiro a ser comandado... Afinal, quantos que por aqui passaram, ocupando-se dos mais altos cargos, tronos e patentes, no entanto, se quer o próprio fim conseguiram evitar... No entanto, se quer a própria volta conseguiram mudar.

Não sejamos como os cães que correm atrás do próprio rabo. Não busquemos o poder para defender a ideia da união, do progresso e da simplicidade... Por que assim como o silêncio: estas não podem ser explicadas, não podem ser descritas.
 
Enfim, não cometamos os mesmos erros que muito nos causaram, pois, será apenas pela ajuda mutua que nós seremos ajudados. Por nossa própria vontade!

...
 
"Não há como ferir uma flor sem machucar uma estrela. Tudo está interligado!"