Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

Literatura Paranaense - Provocações Provocações

Teve alguém que disse: “Ou o poeta mata o soneto ou o soneto acaba com a poesia”. E não foi com tal radicalismo que se chegou ao bom poema de nossos dias. Vivem e convivem: quadras, sonetos, sextilhas, trovas, décimas, poesias livres e sem rimas, haicai... Só o féretro da antipoesia deve passar sem o acompanhamento de leitores. A arte é da vanguarda porque rompe o entrave de regimes e ideologias, e o Modernismo é um movimento de vanguarda, por excelência. Aos escritores, artistas e poetas cabe a responsabilidade de guiar os povos, restaurando valores, porque o entulho destrói a sociedade e, isto tem muita importância num mundo aético, de valores invertidos, espalhando e espelhando formas de anticultura. Já virou modismo representar a miséria e, dói-nos dizer, chegam a... (leia mais)

Carlos Zatti




MINHA PRIMEIRA COMUNHÃO

Tinha quase nove anos. Fui criada na religião católica. Meus pais eram muito religiosos. Quando se aproximava o Natal, eles promoviam lá em casa uma novena. Além da família, os vizinhos também participavam. Após a novena, eu me sentava ao piano e tocava várias músicas sacras, inclusive a Ave Maria de Schubert. Todos me aplaudiam, dizendo que eu executava com técnica e sentimento as partituras. Quando completei meus nove anos, minha mãe me informou que a Diretora da minha escola, Da. Neide Arruda Leal, desejava que seus alunos da terceira série fizessem a preparação para a primeira Comunhão com as catequistas da Igreja... (leia mais)

IVETE FLORES CATTA PRETA RAMOS




Default



   > JORGE ANDERSON SILVA

  AUTOR  
 
JORGE ANDERSON SILVA
Jorge Anderson Silva, nasceu na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais, no dia 13 de março de 1967. É o filho primogênito de: Jorge de Oliveira Silva e Maria Lavarini Silva. Estudou durante 15 anos na AMR  (Associação Mineira de Reabilitação), devida a sua deficiência física, (falta de coordenação motora). Desde a adolecência iniciou-se a plática de escrever, compondo várias canções e formando inúmeras parcerias com outros compositores, até surgir a ideia de escrever o seu primeiro Romance. Em 1988, candidatou-se a um cargo de vereador no município de Bonfim MG, onde frequenta desde a infância. Em 1998, participou do extinto  programa "Concurso de Paródias", pruduzido pelo SBT, ficando em 1º Lugar. Atualmente é aposentado e dedica boa parte do seu tempo escrevendo.