Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

Pedagogia do Amor

Vivemos uma época de calamitosa incerteza (Martin Luther King) A humanidade caminha de mãos dadas, rumo ao caos. Os valores se invertem, mergulhados nas valas da hipocrisia. O amor que sempre foi o marco da esperança, da fé, da solidariedade existencial, antes praticada olho no olho, hoje é substituído pela tela de um computador ou vídeo de um televisor, até mesmo pelo marketing do imediatismo. Uma espécie de ditadura da frieza. A família era mais unida. Hoje, vai se destruindo nos tentáculos de atividades objetivas, onde o casal, a cada dia, tem menos contato com os seus filhos. Tentar ser alguém no futuro era, sobretudo, motivo e instrumento de interesse pessoal. Ir à luta, era buscar garantir a possibilidade única de vencer e tornar-se... (leia mais)

Josias Alcântara




“D” DE “DEUTSCHLAND”, POR QUE, ENTÃO, “ALEMANHA”???

Uma tradução de Tânia Gabrielli-Pohlmann “D” = “Deutschland”? Que coisa estranha! Quem fala português, diz “Alemanha”; em espanhol este país se chama “Alemaña”; aqueles que falam inglês, adotaram o termo “Germany” e quando se vai para o Leste Europeu, o “Schwabo” é que designa o cidadão alemão. Mas o que se vê nas placas de automóveis alemães é a letra “D” indicando “Deutschland”. Por quê? De onde vêm tantos termos diferentes para indicar um único país? A língua alemã e o povo alemão formaram-se, basicamente, através de diferentes grupos étnicos, tendo cada qual sua língua. A existência de registros escritos em língua alemã remonta ao Século VIII d.C.. A língua oficial era o latim, mas o povo se comunicava em seus... (leia mais)

Clemens Maria Pohlmann




Default



   > Maristela Zamoner

  AUTOR  
 
Maristela Zamoner
Maristela Zamoner. É autora de livros, capítulos, artigos de divulgação e científicos desde 1995, totalizando cerca de uma centena de publicações. Paletrante em eventos como Festival de Dança de Joinville - Ritmos a Dois (SC), Semana da Mimulus (MG), Encontro Campinense de Dança de Salão (PB), Salão Rio Dança (RJ). Profissional em Dança de Salão desde 1995, recebeu prêmios nacionais e internacionais como professora, dançarina e coreógrafa. Entre os prêmios destacam-se Mérito Educacional (Estado do Paraná), destaque pelo prêmio Itaú-Unicef de educação e pela entidade Soroptmist (EUA/Flórida), obtendo primeiro lugar do Prêmio Jovem Talento - Dança de Salão. Atua profissionalmente em consultorias ambientais e como bióloga no Museu de História Natural Capão da Imbuia, onde desenvolve atividades como organização e publicação de materiais bibliográficos. É Licenciada em Ciências Biológicas (UFPR), Especialista em Educação (IBPEX) e mestre em Ciências Biológicas (UFPR).