Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

A terceira intenção

Tenho vontade de parar. Descansar. Interromper essa andança sem tréguas. Já trilhei à beça. Já corri, já tremi, já sofri, já ri também à beça. Já fiz troça, já respeitei, já ofendi, já obedeci, já liderei, já escrevi outra vez à beça. Já pensei que transformaria esse mundo dos homens, mas descobri que o mundo é das mulheres. Tenho vontade de parar, sim. Mas não posso! Não posso interromper essa caminhada. Tenho que trilhar mais um tanto, correr, tremer, sofrer, rir, respeitar, ofender, obedecer, liderar, escrever, transformar outro tanto, outro inútil tanto. Nasci nos estertores da segunda guerra do mundo, no limiar da paz. No vestibular da maturidade, carreguei uma pistola na cinta, pilotei um tanque de guerra, atirei com uma ponto-trinta. Joguei granadas... (leia mais)

Airo Zamoner




A DIMENSÃO QUE NÃO TERMINA

Um Preâmbulo Em Uberaba, centenária cidade do Triângulo, o primeiro número de Dimensão vinha a lume em Julho de 1980. “Uma simples revista de poesia”, escreveu então seu editor. O futuro se encarregaria de desmentir o título do primeiro editorial, porém se manteria constante através dos anos o propósito do novo periódico. “E´esse, apenas esse, o compromisso desta revista, mais uma entre tantas, mortas, existentes ou ainda por existir: efetivo compromisso com a qualidade da poesia”. O compromisso com a qualidade da poesia manteve-se durante os trinta números da publicação. Ao longo dos seus quase vinte e um anos de circulação (Julho de 1980 – Abril de 2001), é um marco de sua excelência. Outras balizas foram atingidas no curso do tempo, levando... (leia mais)

Aricy Curvello




Default



   > Airo Zamoner

  AUTOR  
 
Airo Zamoner

  Poesias
  OBRA PRIMA
  CEGO
  Dicotomia
  Resenhas
  Resenha sobre "Os Egmons" escrita por Nelson Hoffmann
  A urgente renovação ética
  Artigos
  Se você tem um bom original, nós poderemos publicar.
  A INDISPENSÁVEL FORMAÇÃO DO ESCRITOR
  Quem domina o condomínio?
  CRÔNICA, CONTO, ROMANCE, NOVELA...
  DEGUSTAÇÃO COMERCIAL
  A propósito do histórico dia 15 de março de 2015
  Contos
  A viagem de Arlindo
  CLAUDINE
  A PAIXÃO DE ERINE
  A TRAIÇÃO
  ELEONOR
  A GUERRA DE HALA
  ALÔ! QUEM FALA?
  O MOTIM
  A CHEGADA DE XENIK
  O MERGULHO
  A SURPRESA DE MARIETA
  AHLOFA, SONHOS E DORES
  A SECRETA PAIXÃO DE NOÊMIA
  O Honório, quem diria?
  CRIME CONSENTIDO
  A suculenta índia apaixonada
  A DOCE LUDMILA
  O varal de Dona Glena
  ZORTA, A IGNORÂNCIA
  Eustáquio, o covarde
  Lecabel, o Ministro
  O que você está fazendo aí?
  Paixão covarde
  As lágrimas de Dominique
  A corrida
  Lupiano, amigos e pedras
  Não sou mais presidente!
  O amante da prima
  A fuga de Lúcio
  Sala trinta e quatro
  Fotos, fatos e falas
  Bomba nas eleições!
  Vida vazia, vida marota!
  Aurita
  O macacão de Clementino
  A cadeira de vime
  Antônia e Anselmo
  Amor platônico
  Entre o azul e o vermelho
  A traição de Camila
  O primeiro abraço de Octacílio
  OS NATAIS DE VALDEVINA
  O pacotinho do Zé
  A garrucha de Altivino
  Sou brasileiro e não desisto nunca!
  A partilha da rapinagem
  Olhos desbotados
  O filósofo do parque
  Leocadita
  O motel do aposentado
  O título de Izordina
  Gaudiano, o diabo
  Os bombons de Joceu
  Apenas dois inocentes!
  A carreira de Lalo
  A lista do Malaquias
  O choro das crianças
  As perguntas de Fidêncio
  Quem paga essa conta?
  Acaso do ocaso
  Nada mais será como antes
  Pensamentos caóticos!
  A Revolta das Bengalas
  Recostado no portão
  O aniversariante
  O Largo da Ponte*
  Como era mesmo o nome dela?
  Roaldo, o avô
  O Balandrau
  A Raiva de Ermerenciano
  Até o final de seus dias?
  O Calendário de Feliciano
  Massagem na Praça
  O Encontro com Arminda
  Aconteceu no 5599
  Quem fez a ponte do patriarca?
  Luísa, a amante do imperador
  Quebre seus cristais!
  Crônicas
  O DEMÔNIO E O ELEITO
  OS PORCOS AGUARDAM ANSIOSOS
  CARDÁPIO DE GARIMPEIRO
  O QUE HÁ ALÉM DO FOSSO?
  O BECO DE NAZIRA
  QUEM É VOCÊ?
  AS ARMADILHAS DO AMOR
  O MENINO E OS IPÊS
  Finalmente, a verdade!
  UM PRATO DE LIVROS!
  CONVERSA ENTRE MINISTROS
  GUITA É DIFERENTE!
  RECADO AO PRESIDENTE
  A ESPERANÇA E O LIXO!
  MALANDROS, INGÊNUOS, RIDÍCULOS
  A DESCOBERTA DE LAURO
  A caneta do Presidente
  PRESIDENTE! O SONHO ACABOU...
  OS FILHOS DE LAICOS E LAGEL
  A AMANTE DO PRESIDENTE
  A MULHER-HOMEM
  Meu encontro com Nhanga
  Luiz Lázaro traiu Poliana Volnéia
  Os sujos invadem o picadeiro!
  Quem será?
  A terceira intenção
  Emenda constitucional
  Neo-obscurantismo
  O contrato
  A escolha do tirano
  Os bruxos nos governam
  Mediocridade para todos!
  Juventude sem alma
  O conselho
  Edinardo, o padeiro
  A choupana de Augustim
  O caixote
  OS CHORÕES DA REPÚBLICA
  Calma, Vergueiro!
  APESAR DE TUDO, SORRIA!
  ONDE ESTÁ MEU PAÍS?
  Ah, se este povo soubesse!
  Os patetas-bandidos
  Não nos subestimem!
  Beleza é fundamental!
  Há um grito entalado!
  O PAÍS QUE EU QUERO!
  Flor sem futuro!
  Aurélio, Euclides e o Presidente
  Bichos do Poder
  Povo frouxo! Povo frouxo?
  Sofisma da divisão
  A Igualdade Final!
  Passividade ou Conivência?
  DUAS COISAS!
  Até Quando?
  Salve-se quem puder!
  Aleixo e a feira
  Eu era menino...
  Já trabalhei que chega!
  ACABARAM COM NOSSA BOLA!
  Ouçam o silêncio!
  O Cacareco de Curitiba
  Quem são eles?
  REBELDIA
  A tentação de lavar as mãos
  Liberdade perdida
  Entrevistas
  Um Autor a Serviço da Consciência