Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

Vida vazia, vida marota!

Dr. Agildo caminhou vagarosamente até a enorme varanda. Saboreava os momentos do entardecer, um a um, como rotina para receber a noite implacável e então, recolher-se para o descanso. Desta vez, contudo, sentia-se diferente. Seus pensamentos esvoaçavam de um canto para outro da memória, contrariando seus comandos, inquietando seu espírito. Sentou-se na velha cadeira, admirando o extenso jardim. Os canteiros, emoldurando as divisas com suas cores imprevisíveis, tentavam suavizar seus sobressaltos. O ipê majestoso, que ele próprio plantara há tantos incontáveis anos, mantinha-se incólume a seus pensamentos. Parou seus olhos no aparente desordenado trabalho da velha árvore, largando o amarelo de pétalas a se desprenderem a cada instante, formando verdadeira alcativa.... (leia mais)

Airo Zamoner




CLAUDINE

Ela se destaca nos meus olhos. Saltita alegrias. Nos rodopios, o vestido de rendas e babados restaura harmonias antigas. A minúscula mãozinha agarra o pai carrancudo. Puxa-o na avidez de conhecer os detalhes do mundo. Aos gritinhos, arrasta-o, estimulando-o a ver. Ver e opinar. Dizer como é lindo, como é feio, engraçado, estranho, tudo que se oferece descompromissado aos seus olhinhos curiosos. Observo e meu coração dói. Vontade de agarrar esse pai pelo colarinho. Sacudi-lo com violência pedagógica. Acordá-lo dos seus trinta, quarenta anos. Forçá-lo a sentir a felicidade que flui gratuita por seu braço indiferente. Gritar para que olhe, uma vez ao menos, para baixo. Fazê-lo ver que a vida berra na alegria voluntária da filha, pesquisadora do mundo. Contenho-me e ele... (leia mais)

Airo Zamoner




Default



   > Airo Zamoner

  AUTOR  
 
Airo Zamoner

  Poesias
  OBRA PRIMA
  CEGO
  Dicotomia
  Resenhas
  Resenha sobre "Os Egmons" escrita por Nelson Hoffmann
  A urgente renovação ética
  Artigos
  Se você tem um bom original, nós poderemos publicar.
  A INDISPENSÁVEL FORMAÇÃO DO ESCRITOR
  Quem domina o condomínio?
  CRÔNICA, CONTO, ROMANCE, NOVELA...
  DEGUSTAÇÃO COMERCIAL
  A propósito do histórico dia 15 de março de 2015
  Contos
  A viagem de Arlindo
  CLAUDINE
  A PAIXÃO DE ERINE
  A TRAIÇÃO
  ELEONOR
  A GUERRA DE HALA
  ALÔ! QUEM FALA?
  O MOTIM
  A CHEGADA DE XENIK
  O MERGULHO
  A SURPRESA DE MARIETA
  AHLOFA, SONHOS E DORES
  A SECRETA PAIXÃO DE NOÊMIA
  O Honório, quem diria?
  CRIME CONSENTIDO
  A suculenta índia apaixonada
  A DOCE LUDMILA
  O varal de Dona Glena
  ZORTA, A IGNORÂNCIA
  Eustáquio, o covarde
  Lecabel, o Ministro
  O que você está fazendo aí?
  Paixão covarde
  As lágrimas de Dominique
  A corrida
  Lupiano, amigos e pedras
  Não sou mais presidente!
  O amante da prima
  A fuga de Lúcio
  Sala trinta e quatro
  Fotos, fatos e falas
  Bomba nas eleições!
  Vida vazia, vida marota!
  Aurita
  O macacão de Clementino
  A cadeira de vime
  Antônia e Anselmo
  Amor platônico
  Entre o azul e o vermelho
  A traição de Camila
  O primeiro abraço de Octacílio
  OS NATAIS DE VALDEVINA
  O pacotinho do Zé
  A garrucha de Altivino
  Sou brasileiro e não desisto nunca!
  A partilha da rapinagem
  Olhos desbotados
  O filósofo do parque
  Leocadita
  O motel do aposentado
  O título de Izordina
  Gaudiano, o diabo
  Os bombons de Joceu
  Apenas dois inocentes!
  A carreira de Lalo
  A lista do Malaquias
  O choro das crianças
  As perguntas de Fidêncio
  Quem paga essa conta?
  Acaso do ocaso
  Nada mais será como antes
  Pensamentos caóticos!
  A Revolta das Bengalas
  Recostado no portão
  O aniversariante
  O Largo da Ponte*
  Como era mesmo o nome dela?
  Roaldo, o avô
  O Balandrau
  A Raiva de Ermerenciano
  Até o final de seus dias?
  O Calendário de Feliciano
  Massagem na Praça
  O Encontro com Arminda
  Aconteceu no 5599
  Quem fez a ponte do patriarca?
  Luísa, a amante do imperador
  Quebre seus cristais!
  Crônicas
  O DEMÔNIO E O ELEITO
  OS PORCOS AGUARDAM ANSIOSOS
  CARDÁPIO DE GARIMPEIRO
  O QUE HÁ ALÉM DO FOSSO?
  O BECO DE NAZIRA
  QUEM É VOCÊ?
  AS ARMADILHAS DO AMOR
  O MENINO E OS IPÊS
  Finalmente, a verdade!
  UM PRATO DE LIVROS!
  CONVERSA ENTRE MINISTROS
  GUITA É DIFERENTE!
  RECADO AO PRESIDENTE
  A ESPERANÇA E O LIXO!
  MALANDROS, INGÊNUOS, RIDÍCULOS
  A DESCOBERTA DE LAURO
  A caneta do Presidente
  PRESIDENTE! O SONHO ACABOU...
  OS FILHOS DE LAICOS E LAGEL
  A AMANTE DO PRESIDENTE
  A MULHER-HOMEM
  Meu encontro com Nhanga
  Luiz Lázaro traiu Poliana Volnéia
  Os sujos invadem o picadeiro!
  Quem será?
  A terceira intenção
  Emenda constitucional
  Neo-obscurantismo
  O contrato
  A escolha do tirano
  Os bruxos nos governam
  Mediocridade para todos!
  Juventude sem alma
  O conselho
  Edinardo, o padeiro
  A choupana de Augustim
  O caixote
  OS CHORÕES DA REPÚBLICA
  Calma, Vergueiro!
  APESAR DE TUDO, SORRIA!
  ONDE ESTÁ MEU PAÍS?
  Ah, se este povo soubesse!
  Os patetas-bandidos
  Não nos subestimem!
  Beleza é fundamental!
  Há um grito entalado!
  O PAÍS QUE EU QUERO!
  Flor sem futuro!
  Aurélio, Euclides e o Presidente
  Bichos do Poder
  Povo frouxo! Povo frouxo?
  Sofisma da divisão
  A Igualdade Final!
  Passividade ou Conivência?
  DUAS COISAS!
  Até Quando?
  Salve-se quem puder!
  Aleixo e a feira
  Eu era menino...
  Já trabalhei que chega!
  ACABARAM COM NOSSA BOLA!
  Ouçam o silêncio!
  O Cacareco de Curitiba
  Quem são eles?
  REBELDIA
  A tentação de lavar as mãos
  Liberdade perdida
  Entrevistas
  Um Autor a Serviço da Consciência