Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

O DEMÔNIO E O ELEITO

Fez um pacto, uma coligação com o Demônio e ganhou as eleições. Festejou. O Demônio veio cobrar a dívida. Foi chegando perto do Eleito. Cutucou suas costas. O Eleito olhou para trás: – O que você quer? Tinha um tom de aspereza na fala dura. – O que é isso? Não se lembra de mim? – Você acha que vou me lembrar de todo mundo? Não vê que fui eleito com milhões de votos? Milhões, entendeu? Sabe o que é isso? Milhões! Não vê minhas ocupações diárias? Nem sei como você passou por minha segurança, por minha assessoria e tem a ousadia de me cutucar pelas costas. Vou chamar minha guarda pessoal! – Calma! Não imaginei que você se esqueceria de quem permitiu sua vitória... – Saia pra lá. Qual é a graça, agora? – Não é graça nenhuma. Você fez uma... (leia mais)

Airo Zamoner




A DIMENSÃO QUE NÃO TERMINA

Um Preâmbulo Em Uberaba, centenária cidade do Triângulo, o primeiro número de Dimensão vinha a lume em Julho de 1980. “Uma simples revista de poesia”, escreveu então seu editor. O futuro se encarregaria de desmentir o título do primeiro editorial, porém se manteria constante através dos anos o propósito do novo periódico. “E´esse, apenas esse, o compromisso desta revista, mais uma entre tantas, mortas, existentes ou ainda por existir: efetivo compromisso com a qualidade da poesia”. O compromisso com a qualidade da poesia manteve-se durante os trinta números da publicação. Ao longo dos seus quase vinte e um anos de circulação (Julho de 1980 – Abril de 2001), é um marco de sua excelência. Outras balizas foram atingidas no curso do tempo, levando... (leia mais)

Aricy Curvello




Default



   > Airo Zamoner

  AUTOR  
 
Airo Zamoner

  Poesias
  OBRA PRIMA
  CEGO
  Dicotomia
  Resenhas
  Resenha sobre "Os Egmons" escrita por Nelson Hoffmann
  A urgente renovação ética
  Artigos
  Se você tem um bom original, nós poderemos publicar.
  A INDISPENSÁVEL FORMAÇÃO DO ESCRITOR
  Quem domina o condomínio?
  CRÔNICA, CONTO, ROMANCE, NOVELA...
  DEGUSTAÇÃO COMERCIAL
  A propósito do histórico dia 15 de março de 2015
  Contos
  A viagem de Arlindo
  CLAUDINE
  A PAIXÃO DE ERINE
  A TRAIÇÃO
  ELEONOR
  A GUERRA DE HALA
  ALÔ! QUEM FALA?
  O MOTIM
  A CHEGADA DE XENIK
  O MERGULHO
  A SURPRESA DE MARIETA
  AHLOFA, SONHOS E DORES
  A SECRETA PAIXÃO DE NOÊMIA
  O Honório, quem diria?
  CRIME CONSENTIDO
  A suculenta índia apaixonada
  A DOCE LUDMILA
  O varal de Dona Glena
  ZORTA, A IGNORÂNCIA
  Eustáquio, o covarde
  Lecabel, o Ministro
  O que você está fazendo aí?
  Paixão covarde
  As lágrimas de Dominique
  A corrida
  Lupiano, amigos e pedras
  Não sou mais presidente!
  O amante da prima
  A fuga de Lúcio
  Sala trinta e quatro
  Fotos, fatos e falas
  Bomba nas eleições!
  Vida vazia, vida marota!
  Aurita
  O macacão de Clementino
  A cadeira de vime
  Antônia e Anselmo
  Amor platônico
  Entre o azul e o vermelho
  A traição de Camila
  O primeiro abraço de Octacílio
  OS NATAIS DE VALDEVINA
  O pacotinho do Zé
  A garrucha de Altivino
  Sou brasileiro e não desisto nunca!
  A partilha da rapinagem
  Olhos desbotados
  O filósofo do parque
  Leocadita
  O motel do aposentado
  O título de Izordina
  Gaudiano, o diabo
  Os bombons de Joceu
  Apenas dois inocentes!
  A carreira de Lalo
  A lista do Malaquias
  O choro das crianças
  As perguntas de Fidêncio
  Quem paga essa conta?
  Acaso do ocaso
  Nada mais será como antes
  Pensamentos caóticos!
  A Revolta das Bengalas
  Recostado no portão
  O aniversariante
  O Largo da Ponte*
  Como era mesmo o nome dela?
  Roaldo, o avô
  O Balandrau
  A Raiva de Ermerenciano
  Até o final de seus dias?
  O Calendário de Feliciano
  Massagem na Praça
  O Encontro com Arminda
  Aconteceu no 5599
  Quem fez a ponte do patriarca?
  Luísa, a amante do imperador
  Quebre seus cristais!
  Crônicas
  O DEMÔNIO E O ELEITO
  OS PORCOS AGUARDAM ANSIOSOS
  CARDÁPIO DE GARIMPEIRO
  O QUE HÁ ALÉM DO FOSSO?
  O BECO DE NAZIRA
  QUEM É VOCÊ?
  AS ARMADILHAS DO AMOR
  O MENINO E OS IPÊS
  Finalmente, a verdade!
  UM PRATO DE LIVROS!
  CONVERSA ENTRE MINISTROS
  GUITA É DIFERENTE!
  RECADO AO PRESIDENTE
  A ESPERANÇA E O LIXO!
  MALANDROS, INGÊNUOS, RIDÍCULOS
  A DESCOBERTA DE LAURO
  A caneta do Presidente
  PRESIDENTE! O SONHO ACABOU...
  OS FILHOS DE LAICOS E LAGEL
  A AMANTE DO PRESIDENTE
  A MULHER-HOMEM
  Meu encontro com Nhanga
  Luiz Lázaro traiu Poliana Volnéia
  Os sujos invadem o picadeiro!
  Quem será?
  A terceira intenção
  Emenda constitucional
  Neo-obscurantismo
  O contrato
  A escolha do tirano
  Os bruxos nos governam
  Mediocridade para todos!
  Juventude sem alma
  O conselho
  Edinardo, o padeiro
  A choupana de Augustim
  O caixote
  OS CHORÕES DA REPÚBLICA
  Calma, Vergueiro!
  APESAR DE TUDO, SORRIA!
  ONDE ESTÁ MEU PAÍS?
  Ah, se este povo soubesse!
  Os patetas-bandidos
  Não nos subestimem!
  Beleza é fundamental!
  Há um grito entalado!
  O PAÍS QUE EU QUERO!
  Flor sem futuro!
  Aurélio, Euclides e o Presidente
  Bichos do Poder
  Povo frouxo! Povo frouxo?
  Sofisma da divisão
  A Igualdade Final!
  Passividade ou Conivência?
  DUAS COISAS!
  Até Quando?
  Salve-se quem puder!
  Aleixo e a feira
  Eu era menino...
  Já trabalhei que chega!
  ACABARAM COM NOSSA BOLA!
  Ouçam o silêncio!
  O Cacareco de Curitiba
  Quem são eles?
  REBELDIA
  A tentação de lavar as mãos
  Liberdade perdida
  Entrevistas
  Um Autor a Serviço da Consciência