Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

Pedagogia do Amor

Vivemos uma época de calamitosa incerteza (Martin Luther King) A humanidade caminha de mãos dadas, rumo ao caos. Os valores se invertem, mergulhados nas valas da hipocrisia. O amor que sempre foi o marco da esperança, da fé, da solidariedade existencial, antes praticada olho no olho, hoje é substituído pela tela de um computador ou vídeo de um televisor, até mesmo pelo marketing do imediatismo. Uma espécie de ditadura da frieza. A família era mais unida. Hoje, vai se destruindo nos tentáculos de atividades objetivas, onde o casal, a cada dia, tem menos contato com os seus filhos. Tentar ser alguém no futuro era, sobretudo, motivo e instrumento de interesse pessoal. Ir à luta, era buscar garantir a possibilidade única de vencer e tornar-se... (leia mais)

Josias Alcântara




Literatura Paranaense - Provocações Provocações

Teve alguém que disse: “Ou o poeta mata o soneto ou o soneto acaba com a poesia”. E não foi com tal radicalismo que se chegou ao bom poema de nossos dias. Vivem e convivem: quadras, sonetos, sextilhas, trovas, décimas, poesias livres e sem rimas, haicai... Só o féretro da antipoesia deve passar sem o acompanhamento de leitores. A arte é da vanguarda porque rompe o entrave de regimes e ideologias, e o Modernismo é um movimento de vanguarda, por excelência. Aos escritores, artistas e poetas cabe a responsabilidade de guiar os povos, restaurando valores, porque o entulho destrói a sociedade e, isto tem muita importância num mundo aético, de valores invertidos, espalhando e espelhando formas de anticultura. Já virou modismo representar a miséria e, dói-nos dizer, chegam a... (leia mais)

Carlos Zatti




Default



   > Jucélio João Teixeira

  AUTOR  
 
Jucélio João Teixeira

Jucélio Teixeira, deficiente visual, é casado, tem filhos maravilhosos, presentes de DEUS, como costuma afirmar. Aos dezenove anos, foi aprovado em concurso para a polícia militar do Estado de Santa Catarina. Depois de seis anos de trabalho, foi aposentado por invalidez por causa de uma doença degenerativa da retina chamada Ritinose Pigmentar. Passaram-se alguns meses e, em função de fatos que aconteceram, percebeu porque DEUS havia limitado sua visão física. Diante dos acontecimentos variados, cujas explicações não encontrava, foi buscar aprendizado em vários lugares sobre as vozes que ouvia. Em um dia de janeiro de 1991, teve a resposta que buscava. Em meio a uma luz natural, uma voz falou na madrugada, por volta das duas horas:- Não se assuste! Em um futuro próximo, depois de alguns aprendizados, você irá receber um trabalho que preencherá seus dias e ajudará no esclarecimento de muitas pessoas. Acordou no dia seguinte com a lembrança nítida do "sonho" e esta lembrança o acompanhou por dias seguidos. Certo dia, sentado à frente de seu computador, descobriu porque recebera aquela mensagem em forma de sonho: escreveria um livro e neste, contaria suas experiências com o além, mas não sabia como começar. Acordou, ainda sentado em frente ao seu computador, sentiu-se "acordar" depois de algumas horas escrevendo algo que de momento parecia-lhe muito estranho. Dali para frente, nas horas hoje determinadas por ele próprio, realiza os mesmos atos. Como escritor, também se tornou leitor dessas obras, pois entende que só toma conhecimento do seu conteúdo após o término do dia de trabalho. As histórias em forma de livro vão surgindo. O primeiro é este com o título PASSAGEM. Depois veio AVISOS EM SINAIS e, em seguida, APRENDENDO COM A FUGA, todos prontos para a publicação. Hoje escreve mais alguns que também serão lançados na continuação. Aqui conta a história de vida de um dos muitos Josés, ditado pelo espírito de JOSÉ PAZ.