Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

COLEÇÃO ARQUIVOS - TESOUROS ETERNOS DA LITERATURA IBERO-AMERICANA

Livros à mancheia têm-me chegado nestes últimos meses, levando-me a um profundo mergulho no tempo. A uma reflexão intensa sobre o quanto desconhecemo-nos, ainda que parte imensa nesta América, latina e de proporções gigantescas no tocante a problemas, sim, mas também no tocante à riqueza cultural. Muitas das edições que tenho recebido não são atuais, porém preciosas ao nosso processo de busca e de integração, no qual o fator cultural faz-se imprescindível. Sem conhecermos o passado, lutamos por uma identidade inexistente, segundo alguns autores especializados no estudo e na pesquisa do fenômeno cultural ibero-americano. E as novidades, às vezes antigas, nos impedem este retorno urgente à nossa formação, à nossa certeza de que somos dignos de respeito pela... (leia mais)

Tânia Gabrielli-Pohlmann




A terceira intenção

Tenho vontade de parar. Descansar. Interromper essa andança sem tréguas. Já trilhei à beça. Já corri, já tremi, já sofri, já ri também à beça. Já fiz troça, já respeitei, já ofendi, já obedeci, já liderei, já escrevi outra vez à beça. Já pensei que transformaria esse mundo dos homens, mas descobri que o mundo é das mulheres. Tenho vontade de parar, sim. Mas não posso! Não posso interromper essa caminhada. Tenho que trilhar mais um tanto, correr, tremer, sofrer, rir, respeitar, ofender, obedecer, liderar, escrever, transformar outro tanto, outro inútil tanto. Nasci nos estertores da segunda guerra do mundo, no limiar da paz. No vestibular da maturidade, carreguei uma pistola na cinta, pilotei um tanque de guerra, atirei com uma ponto-trinta. Joguei granadas... (leia mais)

Airo Zamoner




Default



   > José Daniel Deodoro

  AUTOR  
 
José Daniel Deodoro
JOSÉ DANIEL DEODORO nasceu em dezoito de junho de 1965 em Guaratuba, no Paraná em um sítio chamado Cabeceira do Rio Preto.

Começou a aprender a ler e escrever aos onze anos de idade. Morou em um colégio interno por cinco anos, onde, em um concurso de redação, obteve o segundo lugar, em nível estadual. Ficou em segundo lugar porque uma pessoa que cursava o terceiro ano do antigo curso Científico foi quem redigiu para o vencedor. Somente depois de quatro meses é que veio a saber deste fato. Não ficou triste, pois achava que nem conseguiria a classificação. A colocação em segundo lugar foi uma grande e agradável surpresa. Foi nômade por 21 anos. Depois de completar a maioridade em suas andanças, fixou residência em sua terra natal. Seu primeiro emprego foi de garçom. Trabalhou em escritórios. Foi parar nos garimpos, mergulhou muito para extrair ouro e diamantes. Extraiu muito, mas nunca acumulou. Fala sempre que suas três pepitas ou suas três gemas são: sua esposa, um filho e uma filha. Escreveu três livros: Canela de Boi, A Caçada do Tatu, Eu e o Velho. Outros três estão em andamento. Gosta muito de ler e escrever, quer e vai fazer dos livros sua fonte de renda. Atualmente,trabalha em um supermercado para custear as despesas pessoais. Intitula-se como autor das famílias. Quer que todos os membros das famílias leiam suas obras, desde o menor, o mais novo, até o maior e mais velho. É um grande incentivador da leitura. Se soubesse que ler era tão bom, que desenvolve a mente humana, teria lido mais, muito mais. Teria começado mais cedo.