Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

CLAUDINE

Ela se destaca nos meus olhos. Saltita alegrias. Nos rodopios, o vestido de rendas e babados restaura harmonias antigas. A minúscula mãozinha agarra o pai carrancudo. Puxa-o na avidez de conhecer os detalhes do mundo. Aos gritinhos, arrasta-o, estimulando-o a ver. Ver e opinar. Dizer como é lindo, como é feio, engraçado, estranho, tudo que se oferece descompromissado aos seus olhinhos curiosos. Observo e meu coração dói. Vontade de agarrar esse pai pelo colarinho. Sacudi-lo com violência pedagógica. Acordá-lo dos seus trinta, quarenta anos. Forçá-lo a sentir a felicidade que flui gratuita por seu braço indiferente. Gritar para que olhe, uma vez ao menos, para baixo. Fazê-lo ver que a vida berra na alegria voluntária da filha, pesquisadora do mundo. Contenho-me e ele... (leia mais)

Airo Zamoner




SEMEADURA

Avistando um aglomerado de mercadores, um andarilho gritou, decidido: - Atenção! Fechem o caminho; vou passar! Surpreso ao sentir um toque em seu ombro, voltou-se e deparou com a razão: - Por que agiste desta forma? Não sabes que é preciso caminho aberto para seguir adiante? O andarilho, sentando-se sob gigantesca árvore de multividências, dirigiu-se à razão, num repente: - Pedi que fechassem o caminho para que minha loucura não fugisse... A razão, mais confusa que convencida, argumentou sem hesitar: - Não há coerência no que dizes. Explica-te ou afasta-te de mim! Cruzando os braços sobre os joelhos, o andarilho insistiu: - Não desejei que minha loucura partisse, por não querer viver comprometido com tua existência mascarada... A razão, indignada, protestou sem mais... (leia mais)

Tânia Gabrielli-Pohlmann




Default



   > Neilza Alves Buarque Costa

  AUTOR  
 
Neilza Alves Buarque Costa

Neilza Alves Buarque Costa, natural de Belford Roxo - Rio de Janeiro. Nasceu em 1 de agosto de 1975. Mudou-se ainda criança com seus pais para Recife, onde vive até hoje. É casada e mãe de um lindo filho.

Assistente social formada pela Universidade Federal de Pernambuco, pós-graduada em Psicologia Social e Comunitária pela Faculdade Frassinetti do Recife-PE. Nas horas vagas dedica-se a escrever. Despertou interesse pela literatura na adolescência, onde foi incentivada por Professores que marcaram sua vida. Sempre gostou de ler e escrever poesias, crônicas e pensamentos, quando ia para a cidade do interior em Pernambuco, perdia-se entre os livros literários de sua tia.

Desejos e Devaneios é seu primeiro livro de poemas, baseado nos reflexos de suas realizações e reflexões de uma vida repleta de meditações. Trata-se de poemas que relatam o amor e o desejo claramente, duas molas propulsoras da vida, cujo teor delineia os momentos de alegrias, euforia e descobertas de um ser. 

Para acompanhar o trabalho da escritora, acesse: http://izabuarque.blogspot.com.br/