Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

EMOÇÂO

Foi um dia de intensa emoção. Estava triste, sem saber o que fazer. Alguém aconselhou. “Quebra o bloqueio. Põe tudo que sente pra fora”. Depois do conselho, pensou. “Talvez escrevendo eu consiga. É isso. Ponho no papel. Assim não amolo ninguém”. Agora, sentada frente à máquina, não sabe como dar início. Como pôr pra fora o que sente? Não sabia... Passou a vida toda segurando suas emoções, só extravasadas em lágrimas, a única coisa que não sabia guardar. Uma simples vontade depois de um conselho. Conseguiria fazê-las saírem? Na verdade, não era uma simples vontade. Era uma profunda vontade. Pensou que talvez fosse mais feliz, mais liberta, se conseguisse algum dia, de alguma forma, “botar pra fora”, nem que fosse um pouquinho só, toda aquela emoção... (leia mais)

Isis Berlinck Renault




PRESIDENTE! O SONHO ACABOU...

Ele esfregou os olhos como criança. Piscou várias vezes. A penumbra da manhã impúbere digladiava contra a noite rebelde, envelhecida, teimosa. Ela sabia de sua derrota cotidiana, desistiu e se encolheu, aguardando escondida em conhecidos cantos inabitados. Conformada, sabia da vitória certeira contra a iluminação do dia que murcharia dentro de algumas horas. Ele voltou a esfregar os olhos remelentos, sentir o sonho recém apagado. A agenda do dia disparou assessores pelas quinas do palácio. Desde os primeiros dias de poder, não havia mais tempo para devaneios infantilóides e o sonho se dissipava no emaranhado confuso das marchas e contra-marchas, dos argumentos e contra-argumentos, das possibilidades e impossibilidades, todas ignoradas no longo, muito longo e mal feito... (leia mais)

Airo Zamoner




Default



   > Alva xavier

  AUTOR  
 
Alva xavier

Uma baiana apaixonada pela vida, poetisa, graduando em Comunicação Social Publicidade e Propaganda. Inconformada com a desigualdade social e a forma de governo no Brasil. Extremamente sincera. Amo profundamente, respeito absolutamente as pessoas e seu modo de pensar, acordo de madrugada para escrever, escrevo na fila do banco, dentro do ônibus e em qualquer lugar e em qualquer momento que a poesia vem. Acredito em sonhos. Mas quando sonho, acredito na vida, se estou aqui é para viver, cair, aprender, levantar e seguir em frente. Não me dôo pela metade, não sou tua meio amiga, nem teu quase Amor ou sou TUDO ou sou NADA. Não suporto meio termos. Sou inconstante e imprevisível. Não gosto de rotina. Eu amo de verdade aqueles pra quem eu digo isso e me irrito de forma inexplicável quando alguém duvida das minhas Palavras. Nem sempre coloco em prática aquilo que eu julgo certo, mas faço o melhor que posso. Não exijo que me entendam, nem que me aceitem. São poucas as pessoas para quem eu me explico. Palavras até me conquistam temporariamente, mas, atitudes me ganham ou me perdem PARA SEMPRE!