Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

O DEMÔNIO E O ELEITO

Fez um pacto, uma coligação com o Demônio e ganhou as eleições. Festejou. O Demônio veio cobrar a dívida. Foi chegando perto do Eleito. Cutucou suas costas. O Eleito olhou para trás: – O que você quer? Tinha um tom de aspereza na fala dura. – O que é isso? Não se lembra de mim? – Você acha que vou me lembrar de todo mundo? Não vê que fui eleito com milhões de votos? Milhões, entendeu? Sabe o que é isso? Milhões! Não vê minhas ocupações diárias? Nem sei como você passou por minha segurança, por minha assessoria e tem a ousadia de me cutucar pelas costas. Vou chamar minha guarda pessoal! – Calma! Não imaginei que você se esqueceria de quem permitiu sua vitória... – Saia pra lá. Qual é a graça, agora? – Não é graça nenhuma. Você fez uma... (leia mais)

Airo Zamoner




O que e como fazer para escrever bem

Uma das maiores preocupações que permeiam o âmbito escolar tem sido a produção de texto, em especial o dissertativo, por apresentar dificuldades no seu processo de elaboração e produção. Por ser um texto que procede de reflexões sobre determinado assunto, em que a opinião do locutor deve ser explicitada e, principalmente, acatada pelo interlocutor, exige-se maior rigor e complexidade nos mecanismos de produção. Quer dizer, ao comentar sobre determinado assunto tem-se a pretensão de atingir o outro, seja por convencimento ou por persuasão. Assim, torna-se fundamental se servir de uma linguagem elaborada, haja vista que para se obter adesão do interlocutor, o discurso deva... (leia mais)

Andreia Frederico Coutinho




Default



   > Pedro Pereira S Filho

  AUTOR  
 
Pedro Pereira S Filho

Nascido Pedro Pereira da Silva Filho, em 25/03/1956, desde pequeno costurava minhas criações poéticas. Funcionário do Banco do Brasil por longos anos, carrego um pouco do carinho do povo que me acolheu Brasil a fora: Pindobaçu (BA), São Gonçalo do Sapucaí (MG), Cambuí (MG), Brumado (BA), Vitória da Conquista (BA) e minha terra, meu torrão, meu povo e meu mundo: Jeremoabo (BA). Graduado em Administração de Empresas, Pós-Graduado em Administração de Cidades, Especialista em Metodologia e Docência, Professor, Cantor e Ativista Cultural.   

Nas incursões poéticas e crônicas carrego dois prêmios que, às vezes, instigam-me a ir mais: finalista do Prêmio da Editora Guemanisse com a crônica “Rock tem Idade?” e finalista do prêmio para novos autores da Editora Vida com o poema “Sobrevivendo”.