Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

O MERGULHO

Aquele brusco tremor o impulsionou violentamente para trás. Já sentira isso há muito tempo, quando inadvertidamente, colocara o dedo no bocal de uma lâmpada. Experiência assustadora! Alguma coisa entrara subitamente em seu corpo. Ao mesmo tempo em que, num ato reflexo, puxara a mão de volta, sentira uma contraditória atração. Queria levar outro choque! Quantas vezes, ao ver um bocal sem lâmpada, sentira novamente aquela estranha tentação. Sempre resistiu bravamente. Agora, contudo, num misto de sofrimento e prazer, toda aquela sensação se repetia e nada tinha a ver com o choque elétrico! Letras. Palavras. Livros. Depois que dominara as letras, passara a admirar as palavras. Ficava horas, olhando e pensando nelas. Letras sem sentido adquiriam uma espécie de vida... (leia mais)

Airo Zamoner




O DEMÔNIO E O ELEITO

Fez um pacto, uma coligação com o Demônio e ganhou as eleições. Festejou. O Demônio veio cobrar a dívida. Foi chegando perto do Eleito. Cutucou suas costas. O Eleito olhou para trás: – O que você quer? Tinha um tom de aspereza na fala dura. – O que é isso? Não se lembra de mim? – Você acha que vou me lembrar de todo mundo? Não vê que fui eleito com milhões de votos? Milhões, entendeu? Sabe o que é isso? Milhões! Não vê minhas ocupações diárias? Nem sei como você passou por minha segurança, por minha assessoria e tem a ousadia de me cutucar pelas costas. Vou chamar minha guarda pessoal! – Calma! Não imaginei que você se esqueceria de quem permitiu sua vitória... – Saia pra lá. Qual é a graça, agora? – Não é graça nenhuma. Você fez uma... (leia mais)

Airo Zamoner




Default



   > Valentino Cabresto

  AUTOR  
 
Valentino Cabresto
Nesta vida! Quem acha que manda: é o primeiro a ser comandado... Afinal, quantos que por aqui passaram, ocupando-se dos mais altos cargos, tronos e patentes, no entanto, se quer o próprio fim conseguiram evitar... No entanto, se quer a própria volta conseguiram mudar.

Não sejamos como os cães que correm atrás do próprio rabo. Não busquemos o poder para defender a ideia da união, do progresso e da simplicidade... Por que assim como o silêncio: estas não podem ser explicadas, não podem ser descritas.
 
Enfim, não cometamos os mesmos erros que muito nos causaram, pois, será apenas pela ajuda mutua que nós seremos ajudados. Por nossa própria vontade!

...
 
"Não há como ferir uma flor sem machucar uma estrela. Tudo está interligado!"