Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

Literatura Paranaense - Provocações Provocações

Teve alguém que disse: “Ou o poeta mata o soneto ou o soneto acaba com a poesia”. E não foi com tal radicalismo que se chegou ao bom poema de nossos dias. Vivem e convivem: quadras, sonetos, sextilhas, trovas, décimas, poesias livres e sem rimas, haicai... Só o féretro da antipoesia deve passar sem o acompanhamento de leitores. A arte é da vanguarda porque rompe o entrave de regimes e ideologias, e o Modernismo é um movimento de vanguarda, por excelência. Aos escritores, artistas e poetas cabe a responsabilidade de guiar os povos, restaurando valores, porque o entulho destrói a sociedade e, isto tem muita importância num mundo aético, de valores invertidos, espalhando e espelhando formas de anticultura. Já virou modismo representar a miséria e, dói-nos dizer, chegam a... (leia mais)

Carlos Zatti




O que e como fazer para escrever bem

Uma das maiores preocupações que permeiam o âmbito escolar tem sido a produção de texto, em especial o dissertativo, por apresentar dificuldades no seu processo de elaboração e produção. Por ser um texto que procede de reflexões sobre determinado assunto, em que a opinião do locutor deve ser explicitada e, principalmente, acatada pelo interlocutor, exige-se maior rigor e complexidade nos mecanismos de produção. Quer dizer, ao comentar sobre determinado assunto tem-se a pretensão de atingir o outro, seja por convencimento ou por persuasão. Assim, torna-se fundamental se servir de uma linguagem elaborada, haja vista que para se obter adesão do interlocutor, o discurso deva... (leia mais)

Andreia Frederico Coutinho




Default



   > David Rodrigues Silva Neves

  AUTOR  
 
David Rodrigues Silva Neves
Nasci em Cruzeiro-SP em 1984, mas passei minha adolescência em Pindamonhangaba e Taubaté, no Vale do Paraíba, entre a serra da Mantiqueira e a do mar. Conclui o curso de História em 2006 na Universidade de Taubaté e o Mestrado em 2013 na PUC-SP. Minhas pesquisas se basearam tanto na instalação dos campos de concentração no Brasil como no desconhecido Tribunal de Segurança Nacional (1936-1945). Atualmente, aprofundo meus estudos, na qualidade de aluno do curso de Doutorado em História na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), além de lecionar na Escola Pública de São Paulo. No tempo livre me dedico a escrever contos e poesias para públicos variados. Já publiquei, por essa mesma editora, a obra: A noite que não acaba (poesias).