Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

MORDAÇAS CULTURAIS?

“... A língua é minha pátria, e eu não tenho pátria, tenho mátria e quero frátria...” “Língua” Caetano Veloso “Vossa Mercedes aceita uma chávena de chá?” – tradução: “Cê qué um chá?” Pois é... Nossa belíssima Língua Portuguesa está sendo muito maltratada... Mas nos orgulhamos de nossa unicidade lingüística, apesar de nossos quase 8.600.000 Km². Oficialmente não há dialetos no Brasil. E nos orgulhamos disto. De uma mentira oficializada? De um massacre brutal, porém discreto? Que tenhamos apenas uma língua oficial em todo o território brasileiro é de se aceitar e de causar orgulho. Especialmente quando se vê a dificuldade de comunicação entre os habitantes de um país territorialmente tão... (leia mais)

Tânia Gabrielli-Pohlmann




Encerra-se a primeira turma de pós-graduação em dança de salão com magnífica produção científica.

Para a dança de salão brasileira, o ano de 2005 é um divisor de águas. A partir desta data, começa a educação formal na área, o que se deve à abertura da primeira turma de pós-graduação em dança de salão, na Faculdade Metropolitana de Curitiba - FAMEC. O curso tem duas coordenadoras, uma das quais, conhecida por fazer parte do âmbito da dança há muito tempo: Gracinha Araújo. Devido a uma vida dedicada à dança clássica, enfrentou os preconceitos vigentes no meio da dança de salão, superando as dificuldades. Com Abigail Carneiro, tornou realidade, de maneira pioneira, o que muitos só sonharam. O resultado... (leia mais)

Maristela Zamoner




Default



   > Samuel Ramos

  AUTOR  
 
Samuel Ramos

Samuel Patriço Ramos nasceu em Colatina no dia 01 de novembro de 1990. Filho de Edna Patrício Ramos e David Ramos, o autor é o quarto e último filho do casal. Samuca (apelido) sempre foi apaixonado por literatura e todo esse universo de livros
e comunicação.
Aos sete anos, enquanto cursava a primeira série do Ensino Fundamental, produziu seu primeiro texto, sendo muito elogiado por sua professora.
Aos nove, o garoto passou a criar seus primeiros romances, histórias pequenas que ele sempre lia para a família. E a partir daí não parou mais.
O interesse por livros se tornou ainda mais forte e suas narrativas começaram a ficar mais extensas.O jovem quer se formar em Comunicação Social e dar continuidade a sua carreira literária.

“Quando escrevo, tenho o mundo da forma que meus olhos enxergam...â€