Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

Encerra-se a primeira turma de pós-graduação em dança de salão com magnífica produção científica.

Para a dança de salão brasileira, o ano de 2005 é um divisor de águas. A partir desta data, começa a educação formal na área, o que se deve à abertura da primeira turma de pós-graduação em dança de salão, na Faculdade Metropolitana de Curitiba - FAMEC. O curso tem duas coordenadoras, uma das quais, conhecida por fazer parte do âmbito da dança há muito tempo: Gracinha Araújo. Devido a uma vida dedicada à dança clássica, enfrentou os preconceitos vigentes no meio da dança de salão, superando as dificuldades. Com Abigail Carneiro, tornou realidade, de maneira pioneira, o que muitos só sonharam. O resultado... (leia mais)

Maristela Zamoner




Mãe... nhe! Engoliram o papai!!

– Com Deus me deito, com Deus me levanto... “Eu SEI que é ele que está lá... Fica lá, só me olhando...” – Com a graça de Deus e do Divino Espírito Santo. “ Por que ele num vai embora?...” – Ave Maria cheia de graça... “Mamãe não tinha nada de mudar pra essa casa cheia de fantasmas... João fica dizendo que eu sou medroso, que fantasma não existe... Não existe uma ova... E aquele alí?” – O Senhor é convosco... “Como é que na outra casa eu não via nada? Essa casa é mal-assombrada, sim senhor... Ai, meu Deus, olha ele lá outra vez... Me olhando com aqueles olhos sem cara...” – Rogai por nós pecadores... “Vou tampar o rosto...” – Agora e na hora... “Tou escutando uns passos... É ele que... (leia mais)

Isis Berlinck Renault




Default



   > Samuel Ramos

  AUTOR  
 
Samuel Ramos

Samuel Patriço Ramos nasceu em Colatina no dia 01 de novembro de 1990. Filho de Edna Patrício Ramos e David Ramos, o autor é o quarto e último filho do casal. Samuca (apelido) sempre foi apaixonado por literatura e todo esse universo de livros
e comunicação.
Aos sete anos, enquanto cursava a primeira série do Ensino Fundamental, produziu seu primeiro texto, sendo muito elogiado por sua professora.
Aos nove, o garoto passou a criar seus primeiros romances, histórias pequenas que ele sempre lia para a família. E a partir daí não parou mais.
O interesse por livros se tornou ainda mais forte e suas narrativas começaram a ficar mais extensas.O jovem quer se formar em Comunicação Social e dar continuidade a sua carreira literária.

“Quando escrevo, tenho o mundo da forma que meus olhos enxergam...â€