Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

Anthologie...

Obra: „Anthologie de la Poésie Romantique Brésillienne » - Bilingüe (Port. / Fr.) Poemas escolhidos por Izabel Patriota P. Carneiro, apresentados por Didier Lamaison e prefaciados por Alexei Bueno Versão francesa: Adrienne Álvares de Azevedo Macedo, Didier Lamaison e Cécile Tricoire Editoras: UNESCO PUBLISHING / EULINA CARVALHO Formato: 14 x 21cm Páginas: 257 Preço: 27,45 € 2002, ISBN: 92-3-003786-9 Na década consecutiva à da Independência obtida em 1822, chega ao Brasil a revolução das sensibilidades que já soprava sobre a Europa após o início do século. O Romantismo brasileiro aparece com a publicação, em Paris, de “Suspiros Poéticos e Saudades”, de Gonçalves de Magalhães, em 1836. Mas é com Gonçalves Dias que nasce verdadeiramente a grande poesia... (leia mais)

Tânia Gabrielli-Pohlmann




ROSINHA - CONTA – CASOS

Há muito, muito tempo, nasceu no céu uma linda nuvenzinha cor-de-rosa. Nossa! Foi o maior zum-zum-zum. Imagine só! Uma nuvem cor-de-rosa! Não se falava em outra coisa. A casa de Mamãe-Nuvem vivia cheia de visitas. Todos queriam conhecer a nuvenzinha colorida. Todos queriam conhecer Rosinha. Ah! Sim! Ela recebeu o nome de Rosa. Mas logo, logo, virou Rosinha. O tempo foi passando e Nuvem Cor-de-Rosa, aliás Rosa, aliás Rosinha, foi crescendo cada dia mais linda. E não era só linda, não. Era inteligente, alegre, super simpática e tinha uma facilidade incrível para fazer amigos. Todo mundo adorava conversar com ela. Sabe por quê? Porque Nuvem Cor-de-Rosa tinha um dom muito especial: ela inventava casos. Pois é! Ela adorava inventar casos e contá-los... (leia mais)

Isis Berlinck Renault




Default



   > Lucas Borba

  AUTOR  
 
Lucas Borba

Lucas Borba, 23 anos, nasceu em Caxias do Sul, Rio Grande do Sul. É deficiente visual desde o nascimento e aos 12 anos perdeu completamente a visão devido ao agravo de seu glaucoma. Ainda criança, alfabetizou-se no código Braile - escrita em alto-relevo - em um instituto especializado, aprendeu a usar a bengala - que dá ao cego independência em sua locomoção -, familiarizou-se com o computador por meio de leitores de tela e afirma que, no que depende dele, tem uma vida no mínimo natural; é claro, com simples adaptações aqui e ali. Graduando em jornalismo pela UCS (Universidade de Caxias do Sul), é apaixonado por cinema, arte sobre a qual escreve, bem como sobre literatura, para o site planocritico.com. Aos 21 anos, fez sua primeira e única publicação até então com o conto Fuga, pela Andross Editora, para a antologia Livre para Voar. Lucas mora em sua cidade natal com a mãe, em um condomínio da família.