Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

DIREITOS CULTURAIS EM PERSPECTIVA: A FAVOR OU CONTRA?

A 10 de dezembro de 1948 era adotada e proclamada a resolução 217 A (III), pela Assembléia Geral das Nações Unidas. A Declaração Universal dos Direitos Humanos encontra-se traduzida em mais de 300 línguas em seu site oficial (www...) O texto pode ser impresso e arquivado. Vivido? Este o problema maior... A questão da efetiva observância de tais direitos tem sido discutida e analisada, mas há pontos polêmicos, específicos, delicados. E os impasses tornam-se ainda maiores no tocante aos direitos culturais... O que são, afinal, os Direitos Humanos? Por acaso uma definição e uma observância mais satisfatórias destes direitos contribuiriam para melhorar a sorte de seres humanos que vivem situações de injustiças? Isto lhes garantiria uma melhor... (leia mais)

Tânia Gabrielli-Pohlmann




Finalmente, a verdade!

Nada me desperta mais a atenção que a expressão de seu rosto. Olhos pequenos, escuros, escondidos atrás de sobrancelhas grisalhas de onde salta um brilho ofuscante. Olhos ligeiros, matreiros, espertos a contrastar com a velhice que o ronda, que o paquera, que joga alhures seu charme traidor. O sorriso dele, não é coisa facilmente identificável. É um ligeiro esgar maroto, quase sarcástico, às vezes para o lado direito, outras para o esquerdo. É algo forte que agride meu cérebro. Algumas vezes cruzo com ele pela Rua das Flores da minha Curitiba encantada. Em outras, estamos lado a lado, lendo a mesma notícia no jornal pregado na banca. No frio, sempre usa um surrado capote desbotado. No calor, o mesmo paletó xadrez de mangas puídas. Claudicante, corpo encurvado,... (leia mais)

Airo Zamoner




Default



   > Lucas Borba

  AUTOR  
 
Lucas Borba

Lucas Borba, 23 anos, nasceu em Caxias do Sul, Rio Grande do Sul. É deficiente visual desde o nascimento e aos 12 anos perdeu completamente a visão devido ao agravo de seu glaucoma. Ainda criança, alfabetizou-se no código Braile - escrita em alto-relevo - em um instituto especializado, aprendeu a usar a bengala - que dá ao cego independência em sua locomoção -, familiarizou-se com o computador por meio de leitores de tela e afirma que, no que depende dele, tem uma vida no mínimo natural; é claro, com simples adaptações aqui e ali. Graduando em jornalismo pela UCS (Universidade de Caxias do Sul), é apaixonado por cinema, arte sobre a qual escreve, bem como sobre literatura, para o site planocritico.com. Aos 21 anos, fez sua primeira e única publicação até então com o conto Fuga, pela Andross Editora, para a antologia Livre para Voar. Lucas mora em sua cidade natal com a mãe, em um condomínio da família.