Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

Vida vazia, vida marota!

Dr. Agildo caminhou vagarosamente até a enorme varanda. Saboreava os momentos do entardecer, um a um, como rotina para receber a noite implacável e então, recolher-se para o descanso. Desta vez, contudo, sentia-se diferente. Seus pensamentos esvoaçavam de um canto para outro da memória, contrariando seus comandos, inquietando seu espírito. Sentou-se na velha cadeira, admirando o extenso jardim. Os canteiros, emoldurando as divisas com suas cores imprevisíveis, tentavam suavizar seus sobressaltos. O ipê majestoso, que ele próprio plantara há tantos incontáveis anos, mantinha-se incólume a seus pensamentos. Parou seus olhos no aparente desordenado trabalho da velha árvore, largando o amarelo de pétalas a se desprenderem a cada instante, formando verdadeira alcativa.... (leia mais)

Airo Zamoner




O DEMÔNIO E O ELEITO

Fez um pacto, uma coligação com o Demônio e ganhou as eleições. Festejou. O Demônio veio cobrar a dívida. Foi chegando perto do Eleito. Cutucou suas costas. O Eleito olhou para trás: – O que você quer? Tinha um tom de aspereza na fala dura. – O que é isso? Não se lembra de mim? – Você acha que vou me lembrar de todo mundo? Não vê que fui eleito com milhões de votos? Milhões, entendeu? Sabe o que é isso? Milhões! Não vê minhas ocupações diárias? Nem sei como você passou por minha segurança, por minha assessoria e tem a ousadia de me cutucar pelas costas. Vou chamar minha guarda pessoal! – Calma! Não imaginei que você se esqueceria de quem permitiu sua vitória... – Saia pra lá. Qual é a graça, agora? – Não é graça nenhuma. Você fez uma... (leia mais)

Airo Zamoner




Default



   > Cleiton Malheiro de Oliveira

  AUTOR  
 
Cleiton Malheiro de Oliveira

Cleiton Malheiro de Oliveira, nascido em Rondonópolis - Mato grosso, no dia 30 de Março de 1983. É formado em Letras - habilitação em Literatura, pela Universidade Federal de Mato Grosso, campus de Rondonópolis.

É professor do ensino fundamental e médio. Amante da leitura, a qual apaixonou-se aos 12 anos, quando cursava o ensino fundamental, ao descobrir a obra: O estudante, de Adelaide Carraro. Desde então é leitor de todos os gêneros literários.

Aos 14 anos de idade confeccionou de maneira artesanal o seu primeiro livro de poesias, que tinha como tema: a chuva. O qual não sai de sua lembrança, pois o mesmo extraviou-se com o tempo.

Professor apaixonado pela sua profissão, busca sempre despertar em seus alunos, não apenas o hábito da leitura, como também a paixão em ler.

A sua inspiração vem de suas experiências de vida e que tentas rabiscar com palavras, desabafar, curar-se, enfim apenas escrever...