Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

SEMEADURA

Avistando um aglomerado de mercadores, um andarilho gritou, decidido: - Atenção! Fechem o caminho; vou passar! Surpreso ao sentir um toque em seu ombro, voltou-se e deparou com a razão: - Por que agiste desta forma? Não sabes que é preciso caminho aberto para seguir adiante? O andarilho, sentando-se sob gigantesca árvore de multividências, dirigiu-se à razão, num repente: - Pedi que fechassem o caminho para que minha loucura não fugisse... A razão, mais confusa que convencida, argumentou sem hesitar: - Não há coerência no que dizes. Explica-te ou afasta-te de mim! Cruzando os braços sobre os joelhos, o andarilho insistiu: - Não desejei que minha loucura partisse, por não querer viver comprometido com tua existência mascarada... A razão, indignada, protestou sem mais... (leia mais)

Tânia Gabrielli-Pohlmann




A DIMENSÃO QUE NÃO TERMINA

Um Preâmbulo Em Uberaba, centenária cidade do Triângulo, o primeiro número de Dimensão vinha a lume em Julho de 1980. “Uma simples revista de poesia”, escreveu então seu editor. O futuro se encarregaria de desmentir o título do primeiro editorial, porém se manteria constante através dos anos o propósito do novo periódico. “E´esse, apenas esse, o compromisso desta revista, mais uma entre tantas, mortas, existentes ou ainda por existir: efetivo compromisso com a qualidade da poesia”. O compromisso com a qualidade da poesia manteve-se durante os trinta números da publicação. Ao longo dos seus quase vinte e um anos de circulação (Julho de 1980 – Abril de 2001), é um marco de sua excelência. Outras balizas foram atingidas no curso do tempo, levando... (leia mais)

Aricy Curvello




Default



   > Edgard Ferreira dos Santos

  AUTOR  
 
Edgard Ferreira dos Santos
Edgard Santos
Carioca, do Rio Comprido, teve sempre como hobby a leitura. Começou, como fazem aqueles que buscam inspiração, escrevendo poesias. Trabalhando embarcado em plataformas de petróleo, a vista constante do mar azul e de um céu escarlate em fins de tarde contribuiu bastante para isto. Anos mais tarde, outra experiência inesquecível fê-lo tentar a prosa. Nasceu então "Amazônia, um Brasil à Parte". Enveredou pelo romance com "O Vale dos Imortais". Nasce em seguida "Contos de Liberdade e Paixão" e "Outros Poemas". Apaixonado pela literatura e pelas coisas da natureza, atua como professor de inglês dentro da Petrobrás e encontra-se atualmente em fase de revisão de um livro sobre preposições inglesas para estudantes desta língua.