Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

“D” DE “DEUTSCHLAND”, POR QUE, ENTÃO, “ALEMANHA”???

Uma tradução de Tânia Gabrielli-Pohlmann “D” = “Deutschland”? Que coisa estranha! Quem fala português, diz “Alemanha”; em espanhol este país se chama “Alemaña”; aqueles que falam inglês, adotaram o termo “Germany” e quando se vai para o Leste Europeu, o “Schwabo” é que designa o cidadão alemão. Mas o que se vê nas placas de automóveis alemães é a letra “D” indicando “Deutschland”. Por quê? De onde vêm tantos termos diferentes para indicar um único país? A língua alemã e o povo alemão formaram-se, basicamente, através de diferentes grupos étnicos, tendo cada qual sua língua. A existência de registros escritos em língua alemã remonta ao Século VIII d.C.. A língua oficial era o latim, mas o povo se comunicava em seus... (leia mais)

Clemens Maria Pohlmann




Mãe... nhe! Engoliram o papai!!

– Com Deus me deito, com Deus me levanto... “Eu SEI que é ele que está lá... Fica lá, só me olhando...” – Com a graça de Deus e do Divino Espírito Santo. “ Por que ele num vai embora?...” – Ave Maria cheia de graça... “Mamãe não tinha nada de mudar pra essa casa cheia de fantasmas... João fica dizendo que eu sou medroso, que fantasma não existe... Não existe uma ova... E aquele alí?” – O Senhor é convosco... “Como é que na outra casa eu não via nada? Essa casa é mal-assombrada, sim senhor... Ai, meu Deus, olha ele lá outra vez... Me olhando com aqueles olhos sem cara...” – Rogai por nós pecadores... “Vou tampar o rosto...” – Agora e na hora... “Tou escutando uns passos... É ele que... (leia mais)

Isis Berlinck Renault




Default



   > Paulo Tasso Diniz Filho

  AUTOR  
 
Paulo Tasso Diniz Filho

 Sou um apaixonado por literatura. Aprendi a ler muito cedo, e sempre fui aficionado por qualquer coisa que envolva o mundo da escrita. Lia de tudo, revistas, enciclopédias, manuscritos. Primeiramente fui um grande fã da literatura de Agatha Christie e Sidney Sheldon. Com o passar do tempo, me direcionei para uma literatura mais clássica, menos atrelada a histórias mirabolantes e grandes aventuras. Me identifiquei com temas relativos ao homem, a crítica a todos seus valores, a exploração de seus sentimentos, de seu caráter,  e o seu desespero perante a sua própria existência. Meu autores preferidos são Machado de Assis, Carlos Drummond de Andrade, Franz Kafka, Fiódor Dostoiévski e Thomas Mann. Também gosto de ficção ciêntifica, e temas relativos a astronomia,  de autores como Carl Sagan e Júlio Verne.

 

 Sou estudante do quarto ano do curso de Engenharia de Materiais - Unesp