Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

Aos dez anos

O irmão chegou com uma novidade: se ela colocasse um fio de cabelo dentro de um vidro cheio d’água e tampasse bem tampado, ele se transformaria em uma cobra. - Mas tem que ser com a raiz, disse. Porque ela é que vai ser a cabeça da cobra. E tem mais – não pode ficar dentro de casa. Tem que ficar no chão, perto da terra. Arrancou o fio de cabelo mais comprido que encontrou, com raiz e tudo. Colocou num vidro, tampou bem tampado, colocou no chão embaixo de uma mangueira e ficou esperando. - Já tem três dias e não tô vendo nada mudar... - Calma, né? - Quem disse pra você que cabelo vira cobra? - O Betinho. Ele disse que a vó dele disse que um irmão dela fez isso e virou cobra. - Ah!... Outros tantos dias,... (leia mais)

Isis Berlinck Renault




MORDAÇAS CULTURAIS?

“... A língua é minha pátria, e eu não tenho pátria, tenho mátria e quero frátria...” “Língua” Caetano Veloso “Vossa Mercedes aceita uma chávena de chá?” – tradução: “Cê qué um chá?” Pois é... Nossa belíssima Língua Portuguesa está sendo muito maltratada... Mas nos orgulhamos de nossa unicidade lingüística, apesar de nossos quase 8.600.000 Km². Oficialmente não há dialetos no Brasil. E nos orgulhamos disto. De uma mentira oficializada? De um massacre brutal, porém discreto? Que tenhamos apenas uma língua oficial em todo o território brasileiro é de se aceitar e de causar orgulho. Especialmente quando se vê a dificuldade de comunicação entre os habitantes de um país territorialmente tão... (leia mais)

Tânia Gabrielli-Pohlmann




Default



   > Erwelley C.de Andrade

  AUTOR  
 
Erwelley C.de Andrade

Aos 28 anos Érwelley faz de seus passos a realização de seus ideais publicando o livro  de teor reflexivo e poético " Olhos vendados, passos contados.

Publicação: Editora Protexto. 

Membro da Academia de Letras do Brasil/BSB, Parte do grupo literário de membros fundadores da ALB/BSB, busca através da sua escrita a conscientização de cada leitor conforme seu estado de espírito para seu entendimento pessoal.

Autora do livro "Noite de Mistérios, poemas e sonetos publicado independente em Março de 2005, iniciou sua caminhada literária aos 10 anos quando questionada por um professor de religião a respeito de uma das suas redações a instigou a leitura e a escrever...

 A escritora diz que quando escreve não somente expõe sentimentos, reações e envolvimento social, descreve que ao escrever, se disfaz do seu ser, humano para viver sua alma poeta com total envolvimento.

Radicada em Brasília há quase 11 anos nasceu na pequena cidade Zé Doca no interior do estado do Maranhão.

Filha unica, de infância humilde se debruçava entre os livros da escola desde cedo, assim tornava sua vida de criança quieta, calada, emotiva e solitária muito mais alegre e repleta de sonhos... 

Sonhos os quais se realizam junto a suas criações poéticas e reflexivas que aos poucos compartilha com os leitores que direta ou indiretamente amam a poesia em seu mais profundo entender de ser simplesmente sentida...