Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

Finalmente, a verdade!

Nada me desperta mais a atenção que a expressão de seu rosto. Olhos pequenos, escuros, escondidos atrás de sobrancelhas grisalhas de onde salta um brilho ofuscante. Olhos ligeiros, matreiros, espertos a contrastar com a velhice que o ronda, que o paquera, que joga alhures seu charme traidor. O sorriso dele, não é coisa facilmente identificável. É um ligeiro esgar maroto, quase sarcástico, às vezes para o lado direito, outras para o esquerdo. É algo forte que agride meu cérebro. Algumas vezes cruzo com ele pela Rua das Flores da minha Curitiba encantada. Em outras, estamos lado a lado, lendo a mesma notícia no jornal pregado na banca. No frio, sempre usa um surrado capote desbotado. No calor, o mesmo paletó xadrez de mangas puídas. Claudicante, corpo encurvado,... (leia mais)

Airo Zamoner




“D” DE “DEUTSCHLAND”, POR QUE, ENTÃO, “ALEMANHA”???

Uma tradução de Tânia Gabrielli-Pohlmann “D” = “Deutschland”? Que coisa estranha! Quem fala português, diz “Alemanha”; em espanhol este país se chama “Alemaña”; aqueles que falam inglês, adotaram o termo “Germany” e quando se vai para o Leste Europeu, o “Schwabo” é que designa o cidadão alemão. Mas o que se vê nas placas de automóveis alemães é a letra “D” indicando “Deutschland”. Por quê? De onde vêm tantos termos diferentes para indicar um único país? A língua alemã e o povo alemão formaram-se, basicamente, através de diferentes grupos étnicos, tendo cada qual sua língua. A existência de registros escritos em língua alemã remonta ao Século VIII d.C.. A língua oficial era o latim, mas o povo se comunicava em seus... (leia mais)

Clemens Maria Pohlmann




Default



   > Armindo Buaes Neto

  AUTOR  
 
Armindo Buaes Neto
 Armindo Buaes tem 21 anos, é escritor há 12 anos, colunista social nos jornais Atos e Fatos e Jornal Extra, autor de 4 livros, ex-militar do Exército Brasileiro, formado em Técnico Agrícola, webdesigner e graduando em química bacharelado pela UFMA. Nasceu no estado do Pará, na cidade de Belém. Somente aos 7 anos de idade veio para a “Atenas brasileira” onde permanece até hoje. Aos 9 anos de idade, no ano de 2002, escreveu o seu primeiro livro. Que se chamava a “Revolta dos mortos”. Tal livro que se tratava especificamente da ressurreição dos mortos, fora escrito em um caderno pequeno de 180 folhas com ilustrações feitas por ele mesmo à mão, em cada página do livro. O livro demorou cerca de 1 ano para concluir-se e ao final, como de costume de qualquer escritor, Armindo deu seu livro para vários de seus familiares lerem. Aconteceu que as críticas eram muitas de seu livro, pois parecia estranho um garoto de 9 anos escrever sobre algo tão assombrador. Em 2004, cansado das críticas que tal livro trazia, um dia, conversando com sua irmã Emanuelle Moura, decidiu queimar seu livro, e com o apoio da mesma, no quintal de sua casa ele queima a sua primeira obra, sem indulgência.
 
Em 2006 já com 13 anos de idade, com um projeto inovador ele escreve o seu segundo livro intitulado “A Máquina do Tempo”. O livro conta a história de uma família humilde que residia no interior. Até que um dia um pai de família que sustentava aos trampos e barrancos sua esposa e seus 2 filhos viaja para São Paulo, em busca de novas oportunidades e mudança de vida. O livro é cheio de aventura e em alguns momentos da história com vários sentidos facetos. A história é passada na atualidade, na era jurássica e em 1800, com a consolidação da escravidão brasileira. Composta de primeira e segunda parte, no mesmo ano o livro é concluído. Com ilustrações feitas por ele mesmo em cada página do livro. O livro foi composto por 300 páginas.
 
Em 2008, Armindo Buaes digitaliza seu livro “A Máquina do Tempo”, que passa a conter 100 páginas com 20 ilustrações. Atualmente o livro faz parte de um projeto voltado para o público infantil. Após reescrever o livro A máquina do tempo em 2012, Armindo pretende publica-lo no final de 2014, com a adequação para a linguagem infantil.
Entre meados de 2007 à 2012, 3 livros fora escrito por Armindo Buaes: “Você”, “O tempo” e “Márcia”. Ambos patenteados e reconhecidos pela Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. Segue o link do site da Biblioteca Nacional onde se encontram os registros de seus livros: http://www.bn.br/portal/index.jsp?plugin=FbnBuscaEDA&radio=CpfCnpj&codPer=Fj86KJVBJG74CZQFv83CKw==
  
Voluntário para servir a pátria, Em 2013 entrou para o exército brasileiro. Armindo serviu por 10 meses e 10 dias no 24º Batalhão de Infantaria leve. Com poucos projetos e pouco tempo dedicado à literatura, 2013 foi um ano meio que estacionário para o mundo da escrita para Armindo, mas ao mesmo tempo um ano de muitas realizações.
 
Ao ser licenciado da tropa, foi contemplado com o título de soldado destaque da 1ª CIA de Fuzileiros e recebeu o certificado de honra ao mérito, como soldado sem nenhuma alteração durante seu ano de atuação.
 
No começo de 2014, com um projeto de publicar um livro de poesias e contos, Armindo junta os seus 3 livros "Você", "O tempo" e "Márcia". Formando agora um único livro, intitulado "Você, composto por 100 poesias e 5 contos. O livro foi lançado no dia 23 de maio no Centro de Criatividade Odylo Costa Filho - Praia Grande, no Centro de São Luís. Atualmente seu projeto para 2015 se baseia em uma aventura intitulada: “O guardião de Elite”. A história é contada em um tempo épico e cheia de personagens humanos e sádicos da terra da realeza. Com personagens de reis, rainhas e monstros... O livro descreve uma guerra épica, travada por dois povos distintos, em um tempo em que reinava o Guardião de Elite. “Qualquer um de nós movidos pelo sentimento de amor. Mesmo que não tenhamos o hábito de ler e escrever... Tornamo-nos talentos inspirados a criar frases que só o sentimento de amor é capaz de criar.” Armindo Buaes.
 
A musa inspiradora mantida em segredo, marcando o primeiro amor de um jovem, inspira o enredo do livro VOCÊ, que marca a estreia do escritor paraense radicado no maranhão Armindo Buaes Neto. A obra foi lançada no dia 23 de maio no centro de criatividade odylo costa filho, em São Luís - MA. Entre os cincos contos e 100 poesias que compõem a publicação editada pela editora Protexto, do Paraná, o amor adolescente divide espaço com temáticas que passam pelo fim do mundo, religião, morte, a terra natal (Belém) e a cidade adotiva (São Luís).

Os contos que abrem o livro são cinco histórias permeadas de suspense, característica da obra de Edgar Allan Poe, de quem Armindo é fã. A livre imaginação do autor ao criar seus textos fictícios é, também, claramente impregnada de suas referências, em especial, as religiosas. "Passei três meses estudando para escrever o conto O Anticristo, que é o primeiro do livro. Precisei estudar profundamente a Bíblia, principalmente os livros de Daniel e Apocalipse", revela o escritor de apenas 20 anos.

Quando a ficção abre caminho para a realidade, o autor usa a poesia para expressar em primeira pessoa, suas emoções e sua forma de relacionar com o mundo. "Morar nesta cidade maravilhosa, as músicas e as paixões vividas me serviram essencialmente de inspiração em todas as minhas criações. As experiências que eu vivo, na maioria, me servem como inspiração para escrever", ressalta o escritor, ao destacar que a poesia o permite se exprimir em momentos de raiva, felicidade e de paixão.

Até mesmo a vivência no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFMA) - Campus Maracanã, onde cursou o ensino médio/técnico em agropecuária, foi parar em seus escritos. Foi no jornal da instituição que Armindo viu seu poema publicado, com o título Maria. "Sempre interessante a gente conhecer livros e autores nacionais. Achei super bacana a proposta do livro e desejo muito sucesso para o autor!" - Michelli Santos Prado.
 
Em meados de um ano, o jovem escritor Armindo Buaes lança o segundo livro, "Pétalas da Sabedoria", desta vez em coautoria com a escritora Dalva Maria. A obra foi lançada na 8ª feira do livro de São Luís e na livraria leitura do shopping da ilha, o livro conta com 50 crônicas que abordam questões sociofilosóficas.