Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor
 
 
Dança de Salão:...
Maristela Zamoner
R$ 29,80
(A Vista)



Alerta das Estrelas
Francisco Ederaldo...
R$ 77,70
(A Vista)



   > A Caçada do Tatu
A Caçada do Tatu


O problema da impunidade, do acobertamento, da corrupção se alastrou no território nacional de Impuni (Brasil). Muitos espertalhões se sentem seguros em praticar delitos e crimes, pois sabem que jamais serão punidos. Isso vale para quase todos os segmentos. Sem generalizar, em todas as áreas existem os bons e os ruins. Não é diferente no que tange à destruição da natureza, ao desmatamento, que proporciona lucro rápido, certo, vultoso e fácil. Com jeitinho brasileiro, os coronéis burlam as leis e extraem palmitos na Serra do Mar. Não só na serra, mas em todas as outras matas.

O autor usou de uma outra atividade proibida, a caça, para adentrar no mato e denunciar. É como combater fogo com fogo. Em lugar de grandes incêndios, adianta-se um pouco, faz-se um aceiro e coloca-se fogo ao contrário, para ir ao encontro do primeiro fogo. Assim, o autor se utilizou de uma atividade ilícita, a caça, para combater outra, o desmatamento dos palmitos. 
A extração de palmitos na clandestinidade nunca parou, talvez nunca acabará, até que a espécie estiver completamente extinta. Punição dos responsáveis? Uma incógnita. Aqui, também, tudo passa por vistas grossas. É quando o dinheiro manda, cala e faz coisas que qualquer humano duvida.

 

Ficha Técnica  
Gênero : Romances
Autor: José Daniel Deodoro
Titulo: A Caçada do Tatu
ISBN : 9788578280208
Assunto:
Espec. Gráfica: Brochura com interior em papel offset 90g. Capa a cores em cartão especial 220g. Com selo de responsabilidade ambiental por não utilizar componentes plásticos e empregar papel exclusivamente de reflorestamento.
Nº Páginas: 208
Peso: 315 gramas
Largura: 14,0 cm   Altura: 21,0 cm
Preço: R$ 41,90 (A Vista)    INDISPONÍVEL
Observações O problema da impunidade, do acobertamento, da corrupção, se alastrou no território nacional de Impuni (Brasil). Muitos espertalhões se sentem seguros em praticar delitos e crimes, pois sabem que jamais serão punidos. Isso vale para quase todos os segmentos. Sem generalizar, em todas as áreas existem os bons e os ruins. Não é diferente no que tange à destruição da natureza, ao desmatamento, que proporciona lucro rápido, certo, vultoso e fácil.
Com jeitinho brasileiro, os coronéis burlam as leis e extraem palmitos na Serra do Mar. Não só na serra, mas em todas as outras matas.
O autor usou, então, de uma outra atividade proibida, a caça, para adentrar no mato e denunciar. É como combater fogo com fogo. Em lugar de grandes incêndios, adianta-se um pouco, faz-se um aceiro e coloca-se fogo ao contrário, para ir ao encontro do primeiro fogo.
Assim, o autor se utilizou de uma atividade ilícita, a caça, para combater outra, o desmatamento dos palmitos. 
A extração de palmitos na clandestinidade nunca parou, talvez nunca acabará, até que a espécie estiver completamente extinta. Punição dos responsáveis? Uma incógnita. Aqui, também, tudo passa com vistas grossas. É quando o dinheiro manda, cala e faz coisas que qualquer humano duvida.