Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (217)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2529)  
  Resenhas (131)  

 
 
Abrindo a caixa preta...
Silmara Aparecida Lopes
R$ 38,50
(A Vista)



Passagens-02-082
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)






   > Fábula: O Lobo e o Cordeiro.



GERALDO DE CASTRO PEREIRA
      POESIAS

Fábula: O Lobo e o Cordeiro.



      
 
O  LOBO   E  O   CORDEIRO
 
 
Pela sede compelidos,
A um  mesmo manso regato
vieram beber juntinhos
Lobo e um cordeiro pacato.
 
O lobo ficou acima
E mais abaixo o cordeiro.
O lobo provocador
Disse-lhe em tom zombeteiro:
 
-Por que turvas minha água,
A água que irei beber?
E o cordeiro assim responde,
Todo medroso, a tremer:
 
-Como sujar tua água,
Se mais abaixo eu estou?"
O lobo, sem argumento,
Uma falácia inventou::
 
“-Tu falaste mal de mim,
Isto seis meses atrás.
Não posso aceitar a ofensa;
de mim não escaparás’.
 
E o cordeiro, bem surpreso,
Respondeu , com um gemido:
“seis meses atrás, seu lobo,
Inda não era nascido”.
 
-“Então, se não foste tu,
Foi teu pai e com certeza.”
O lobo então arrebata
Com seus dentes sua presa.
 
Esta é a moral da história,
Que acontece tão freqüente:
“O mais forte e poderoso
Sempre oprime o inocente”.
 
                  
     Nota do Autor::esta é mais uma fábula de Fedro , aliás.bem difundida  Eu a traduzi do latim, embora de forma mais livre para melhor adaptá-la em versos heptassílabos.
         
          GERALDO DE CASTRO PEREIRA
 
 
 
 



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui