Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (207)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2526)  
  Resenhas (129)  

 
 
Elixir do amor - A cura...
Michele Stringhini
R$ 34,90
(A Vista)



A Caçada do Tatu
José Daniel Deodoro
R$ 41,90
(A Vista)
INDISPONÍVEL




   > Meu barco encalhou na praia



Vicência Jaguaribe
      POESIAS

Meu barco encalhou na praia

Estou só.
Chacoalhado como um brinquedo
por uma onda gigante
que desnorteou o que estava ao alcance,
meu barco encalhou na praia.
 
O barco avariado exigiu reparos.
Mas há avarias e avarias.
E algumas deixam feridas
que não se podem pensar.
 
E o barco voltou ao mar
e enfrentou as ciladas do abismo,
mesmo sentindo que podia soçobrar.
 
(Nem sempre se tem condições
de levar um barco ao estaleiro,
de onde sai totalmente reparado.)
 
E ele voltou ao mar sabendo-se
sem força para resistir às ciladas.
Voltou, não por se achar curado,
mas por não encontrar um porto
onde pudesse ancorar.
 

 


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui