Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (217)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2529)  
  Resenhas (131)  

 
 
DUBLE - A um passo em...
Guilherme Augusto...
R$ 49,60
(A Vista)



Objetos-03-133
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)






   > O CANTO DO REGATO



GERALDO DE CASTRO PEREIRA
      POESIAS

O CANTO DO REGATO

Entre a verde folhagem da mata,
Embalado nos braços da brisa,
O regato no leito de prata
Coleando, sereno desliza.
 
Vai abrindo, ligeiro, caminho
Entre a densa e rasteira verdura,
e, num tom sonoroso, baixinho,
Uma linda cantiga murmura.
 
As florinhas  no espelho das águas,
Sua fronte gentil vêm mirar;
E eu me esqueço das dores e mágoas
Escutando o regato cantar.
 
Quando a tarde já vem ansiosa,
E a primeira estrelinha cintila,
Vejo a lua brilhante e formosa
Contemplá-lo, sorrindo, tranqüila.
 
As estrelas se inclinam tão meigas,
Para ouvir o regato cantar.
Leves auras, voltando das veigas,
Ficam quedas também a escutar.
 
Lambaris se remexem ligeiros
Entre as águas da cor de cristal.
Sapos mil – barulhentos ferreiros –
Vão regendo uma orquestra infernal.
 
Quem me dera passar toda a vida
Escutando esses ledos cantares
Do regato que nessa descida
Vai lançar suas águas nos mares.
 


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui