Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (217)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2529)  
  Resenhas (131)  

 
 
Ensaios - Filosofia...
Maicon Martta
R$ 36,90
(A Vista)



O testamento vital no...
Isabela Maria Marques...
R$ 30,80
(A Vista)






   > FAVELA



GERALDO DE CASTRO PEREIRA
      POESIAS

FAVELA

Favela,
Onde luz é vela!
Favela,
Onde cama é chão.
 
Fornalha de lenha
Pra cozinhar o quê?
Se chove,
Tudo molha,:
Cai o barraco,
Tudo vira caco
naquela podridão.
Ninguém olha
E ninguém se move
Em sua direção,
A não ser os tiroteios
De um lado e de outro -
Da polícia ou dos bandidos..
 
Farrapos de gente,
Barrigas vazias,
Mas cheias de fome
E de vermes famintos.
A sujeira é a veste
Daquelas magras peles.
 
De que adianta
Falar para esta gente
Palavras belas,
Mas cheias de balelas,?
 
Precisam de escolas,
Emprego, sáude,
Dignidade de cidadãos.
E não de esmolas!
Ensina-lhes  pescar!
Não pesque pra eles, não!
 
Favela,
Onde luz é vela,
Favela de povo pobre,
Tem solução?
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui