Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (217)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2528)  
  Resenhas (129)  

 
 
A Garota do Posto
Francisco Moreira de...
R$ 25,90
(A Vista)



CLT Fácil de Entender
Aluisio Barbaru
R$ 41,30
(A Vista)






   > No tempo



Vicência Jaguaribe
      POESIAS

No tempo

   (Vicência Jaguaribe)
 
 
 
 
No tempo de ontem
O tempo ficava fechado em caixas.
A qualquer hora e a qualquer necessidade
Abria-se a caixa e da caixa ele pulava
Feito um menino levado
E punha-se à disposição.
 
No tempo de ontem
O tempo alargava as fronteiras
Ou fechava as porteiras
No tempo e pelo tempo
Que se quisesse.
 
No tempo de hoje
O tempo é um andarilho apressado
Que não espera quem perde a hora
Ou pede tempo para o retardatário socorrer.
No tempo de hoje
O tempo é o gigante de sete léguas
Que sem trégua se entrega à autodevoração
Da qual regurgita a morte,
Que nem tempo tem de mandar aviso.
 
O tempo de hoje sufoca no bolso o tempo de ontem,
Obrigado a recolher-se na memória
Para não desaparecer.
 


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui