Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (217)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2528)  
  Resenhas (131)  

 
 
Ruínas-01-110
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)



A dor de Deus Pai
Miguel da Silva
R$ 33,30
(A Vista)
INDISPONÍVEL




   > A CANETA



Luiz C. Lessa Alves
      POESIAS

A CANETA

A CANETA
 
Às vezes alegres,
Às vezes tristes;  
Nem sempre fraca,
Nem sempre firme;
Deslizando sobre retas íngremes,
Ela segue deixando atrás de si
Suas pegadas serpentinas.
Ora ofegante, ora calma;
Ora amorosa, ora amarga...
E assim ela vai,
Ziguezagueando, em linha reta,
Construindo sua estrada.
Vez por outra ela para.
Para, a fim de interrogar, exclamar, meditar...
Nunca por cansaço!
Ela pede, ela dá;
Ela vende, ela compra;
Ela credita, ela debita;
Ela elogia, ela xinga;
Ela esmorece... e cala.
Rindo ou chorando, ela fala.
Sempre amiga e companheira. 
Na escola, no trabalho, em casa; 
No comércio, na indústria, na feira...
Assim vive a laboriosa caneta!


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui