Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (207)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2525)  
  Resenhas (129)  

 
 
OBJEÇÃO DE...
ALEXANDRE STURION DE...
R$ 36,10
(A Vista)



Na Mesma Moeda
Livino Virginio...
R$ 49,60
(A Vista)






   > Príncipe Rapunzelo Sapo de Oz



Kate Lúcia Portela de Assis
      CONTOS

Príncipe Rapunzelo Sapo de Oz

Era uma vez um rapazinho que se sentia como um sapo...
... sempre à espera de uma princesa que o beij♥sse.

Na escola, sentava nas últimas carteiras e constantemente pegava no sono durante as aulas.
Ele era o único que não tinha sua própria turminha de amigos. Vivia preso nas torres de seu próprio mundo.

Esse menino escondia s o n h o s em sua alma.
Ele imaginava cenas em que se transformava em um príncipe encantado, como num passe de mágica...

Certo dia, porém, alguns rapazes zombaram de sua figura.
Eles fizeram um desenho seu bem GRANDE.
 
No mais   A
                         L
                              T
                                  O
de todos os muros da escola.

...Com o cérebro do Espantalho...
...Com o coração do Homem de Lata...
...Com a covardia do Leão...

Após risadas incontáveis, todos os pichadores se retiraram.
 
O rapazinho escalou o muro com garra, justamente para alcançar o seu próprio desenho.

Então, ele simplesmente beijou sua imagem.

A partir desse afago, algo mágico aconteceu...

O rapaz reinvent☺u sua história!...
 
Abandonou suas torres e se salvou de seus próprios dragões!

Descobriu o menino estudioso, sensível e corajoso que reinava em seu coração nobre!

Ele conquistou todas as garotas da escola!
Ele conquistou todos os garotos da escola!

Passou...
                     ...um
                                     ....tempo
                                                       ...bom.

Então, ele se tornou um Príncipe Encantador!...

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui