Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (204)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2501)  
  Resenhas (129)  

 
 
Dezoito Mulheres,...
Airo Zamoner
R$ 25,50
(A Vista)



R$ 25,00
(A Vista)






   > MENTIRAS DE PERNAS LONGAS



Luiz C. Lessa Alves
      ENSAIOS

MENTIRAS DE PERNAS LONGAS

           MENTIRAS DE PERNAS LONGAS
               
            Mentira tem pernas curtas? Ledo engano! Existem algumas girando mundo e nem o tempo as envelhece, pois nunca falta quem nelas acredite!
            Fraudar é como praticar aventura perigosa: se o indivíduo obtiver êxito nas primeiras tentativas, torna-se difícil parar. Isso é o mesmo que montar num potro xucro sem rédeas: cair é o mais provável! Ainda assim há sempre peões para montá-lo. Drogas, Bunguee-jumper, etc., não me deixam mentir.        
            Política e meios de comunicação vivem de peripécias. Tanto um quanto outro nem ligam quando são desmascarados e obrigados a reconsideraremalgumas das muitas lorotas. Até mesmo quando a Lei impõe-lhes sanções por alguma das suas mentiras, eles se reprimem, já que a receita superar qualquer prejuízo.
            Até minha adolescência eu acreditava em promessas de políticos; hoje, porém, tudo ficou bem diferente. Com a mídia demorei um pouco mais para enxergar suas fraudes. E é obvio por quê!
            Bem me lembro quando Fantástico aglutinava “Show da Vida” ao seu nome, com formosas dançarinas abrindo o programa. - pura apelação! Em casos assim minha mãe diria: “Mulher que exibe seu corpo para conquistar algo tem cabeça vazia e coração vazado”. Refiro-me, aqui, ao programa, não às bailarinas.
            Certo dia, no entanto, promotores responsáveis por essa programação anunciaram, durante toda semana, que iria apresentar, no domingo seguinte, determinada câmara capaz de fotografar os trezentos e sessenta graus do ambiente. Deu-se até o trabalho de mostrar o Maracanã do alto, comparando a uma fotografia tirada, pela referida câmera, do centro daquele estádio.
            Ainda naquele domingo, prometeram exibir jato d’água com capacidade para furar rochas e carros blindados. Também mostraram certo borrachão com quatro polegadas de espessura, apenas, protegendo a mão do pseudoinventor, amortecendo impacto de um bate-estaca pesando mil quilos (disseram), caindo sobre essa mão.
            Se alguém já viu máquina fotográfica do tipo acima diga-me onde comprá-la. Mangueira d’água com potente jato rompedor, presenciei em filmes, resgatando vítimas soterradas; nunca, jamais, em combate! Se realmente existisse, aposto como Estados Unidos já teria sua concessão e transformado em material bélico.        
             Quanto à “revolucionária borracha” seria ótimo, caso fosse verdadeira! Contudo, muita gente ia usá-la como armadura; escudo protetor do seu mau-caráter! Sabendo que tal produto posto nos para-choques dos veículos absorveria impacto referente a muitos quilogramas forças, bad boysandariam pelas ruas com seus automóveis, jogando-os sobre os outros, achando-se em parques de diversões; naqueles carrinhos que batem uns nos demais sem causar nenhuma mossa. Mas cadê a tal “borracha” do Fantástico Show da Vida?
            Ao assistir uma luta de Mike Tyson, transmitida por Luciano do Valle pela Band, ao vivo... - e Luciano bem que avisou: “Quem quiser fazer alguma coisa, tomar um cafezinho, por exemplo, que faça logo, porque a ‘fera’ vem aí! E quando ‘ela’ parte para briga, nunca se sabe quanto tempo a luta pode durar!”.
            Luciano acertou no “queixo”: a contenda durou somente dezoito segundos do primeiro round.
            Saí da Band, pus na Globo para ver um filme que ia passar depois: esta, também, prometera transmitir ao vivo. Ali sintonizado, tive o desprazer de ainda ouvira a voz chata do Galvão Bueno pedindo: “Atenção Brasil, porque agora vamos assistir, ‘ao vivo’, diretamente de Las Vegas, a luta entre Mike Tyson e...!”. Não me recordo o nome do oponente. Mas isso, também, não vem ao ring, o que entra na minha peleja são as mentiras, pois o combate já havia terminado.  
            Indiferentes a tantos logros, bobões continuam pagando para assistirem Big Brother, que vai perdurar até dois mil e vinte, infelizmente! Eles têm a vã ilusão de que seus votos determinam ganhador daquele joguinho sórdido entre Nada e Coisa Nenhuma. Seria mesmo antológico ver a Globo, manipuladora; ditadora como ninguém, se deixar conduzir por uma gentinha ridícula de cabeça de quadro negro.
            Pessoasajuizadas sabem que essa emissora mete o bedelho até na coisa mais valiosa e sagrada que a constituição nos garante: direito de escolher nossos parlamentares!
            Quem não se lembra do corrupto Collor! Ela mesma o disse, depois da cassação do calhorda: “Eu botei, eu tiro!”. Mas esse povaréu tem mesmo cérebro de praia: depois da onda, tudo se apaga! O que é uma pena, tendo em vista essa gentalha ser maioria!  
            Caso algum dia alguém consiga remover soalhos que há nas luxuosas salas desses “pinóquios”, muita gente boa sumirá atolada na lama ou asfixiada na “poeira” que ali se guarda!
             - Há mais mistérios e segredos na cabeça do homem do que fios de cabelo, ali! Cuidado filho! - Dona Rosa já me prevenia!  


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui