Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (207)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2526)  
  Resenhas (129)  

 
 
De escravos a livres
Itamar paulino de...
R$ 27,20
(A Vista)



Abrindo a caixa preta...
Silmara Aparecida Lopes
R$ 38,50
(A Vista)






   > Memórias de Uma Paixão



Ana Luiza Carvalho Reissinger
      CONTOS

Memórias de Uma Paixão


Todas as manhãs ele levantava e ia com seu barco pescar, havia dias que voltava pra casa com muitos peixes, noutros já não tinha muita sorte. Mas este pescador tinha um sonho.
Ele não gostava da vida solitária que levava, passava dias e dias achando que era castigado por Deus por não ter um amor, pois em outras ocasiões, havia feito algumas pessoas sofrerem.
Certa ocasião, através do seu rádio de comunicação fez um contato com uma voz suave e doce onde se apaixonou por aquela voz.A partir daí eles se falavam com freqüência, trocaram endereços e em poucos dias ele começou a receber cartas deste seu novo amor. Eles trocavam tantas palavras bonitas, cada carta que chegava, ele colocava em uma caixinha especial e ali ficava guardada e o cheiro delas era o perfume mais doce que ele já pôde sentir.
Eles queriam muito se conhecer, mas, ela mora longe da sua cidade e isso fazia com que seu coração ficasse triste. Às vezes ele tinha vontade de largar tudo e ir correndo atrás dela. Mas como não podia largar seu barco com ninguém...Todas as manhãs ele perguntava a Deus;
-Ó Deus porque tu me destes um amor tão lindo, mas tão distante dos meus olhos?
Um dia ele recebeu uma carta de sua amada e nela continha uma foto... atrás dizia:
-Que você guarde pra sempre o rosto daquela que sempre vai te amar.
E ele carregou consigo essa foto durante anos até que um dia ela mudou de endereço e as cartas começaram a voltar.Aquilo era uma dor sem tamanho, ele se sentia traído. Embora jovem com seus 21 anos acreditasse que seria feliz a vida toda, o destino apostou ao contrário a levou-a para longe e ele nunca mais soube dela.
E o que sobrou foram pedaços de papeis amarelados do tempo e uma fotografia quase que apagada e um coração triste. E ele fez a seguinte promessa: nunca mais não iria se apaixonar.Dedicou-se inteiramente ao mar e toda a manhã corria para seu barco voltando somente após conseguir alguma coisa, mas percebeu que precisava fazer algo mais, porque estava ficando velho.Como não tinha nenhum estudo, matriculou-se em um curso técnico e em menos de dois anos estava formado.
Foi pra cidade e então começou a trabalhar se formou em técnico ambiental. Adorava cuidar da natureza.Era uma forma de ficar mais próximo de seus sonhos.
Um dia enquanto trabalhava uma moça chegou perto dele, para perguntar algo sobre as pesquisas que teria que fazer, ele levantou a cabeça e olhou...Seus olhos não puderam acreditar, era ela, ele tinha certeza que era.
Seu coração pulava descompassado, e ficou sem ação, nem sabia em que direção olhar... se olhava diretamente pra ela ou para o chão. Depois de 10 anos tudo voltava como um flash em sua visão e relembrou das cartas, da voz, de tudo.
Embora ela não tivesse nenhuma foto dele, também achou sua voz conhecida e perguntou:
-Seu nome não e David?
E ele sem ação, balançou a cabeça afirmando que sim.
Tomou coragem e gaguejando respondeu;
-você é a HELENA?
E ela afirmou que sim.Ambos com lágrimas nos olhos se abraçaram, foi um abraço longo, assim como ele havia imaginado por muitos e muitos anos.Depois daquele dia os dois começaram a se encontrar com mais freqüência, foram ao parque de diversões, ao cinema, teatro.Era o casal mais feliz e tudo era tão intenso, que viviam intensamente todos os dias, David pediu Helena em casamento e é claro que ela disse sim.
Os anos foram passando e eles tiveram dois filhos, os quais eram a razão de suas vidas. Mas um dia Helena descobriu que estava muito doente.E isso mexeu de mais com David, ele e os filhos ficavam horas e horas ao lado do leito dela, sem descansar.Um dia helena pediu pra ver David logo pela manhã e ele foi até o quarto dela.
Ela estava magra e muito pálida. David chegou perto de sua cama e sorrindo, deu um beijo em sua testa.
Ela quis dizer algo, mas ele colocou a mão em seus lábios, impedindo que ela falasse ou se esforçasse, mas as mãos delicadas dela retiraram as dele.
-Meu amor, por toda a vida eu te amei, fui só sua e agradeço por esses anos todos que passamos juntos, porém meu tempo aqui esta se acabando e tenho que ir.
David com lágrimas nos olhos dizia:
-Não vá meu amor, eu preciso de você aqui ao meu lado, beijou diversas vezes a mão dela e abraçou-a como pela primeira vez, e ele sentiu o líquido quente das lágrimas dela em sua camisa, e em um surro ela disse.
-Eu estarei te esperando por lá.
E ela suspirou pela última vez, fechou os olhos e nunca mais os abriu.Mais uma vez David caiu no desespero se não fosse o amor dos filhos ele tinha colocado fim, em sua própria vida. Como seus filhos já estavam grandes ele, retornou a sua cidade.Não tinha, mas vontade de continuar na cidade, quando chegou ao seu barco encontrou tudo como havia deixado, seu amigo não tinha feito nada com ele.O rádio continuava no mesmo lugar, e abaixo das madeiras no fundo falso estava lá a caixinha e com ela as cartas já bem mais amareladas e divididas em pedaços. Olhou tudo aquilo e uma saudade invadiu seu coração, mas ele ouviu então a voz dela dizendo.
-Eu estarei por lá te esperando.
E ele sorriu pra si mesmo e pensou em breve meu amor, em breve estarei ao seu lado.
Um dia David estava em seu barco, carregando a caixinha e tomou a decisão de pegar todas as cartas e fazer uma homenagem ao seu amor.Pegou uma por uma e as picou e jogou-as contra o vento, elas subiram até certa altura e depois como chuva caíram no mar deixando-o todo salpicado de papéis, que agora o tempo levaria para bem longe.
Um dia David foi tirar um cochilo da tarde, sonhava com Helena vindo ao seu encontro, ela estava linda como se não tivesse envelhecido nada, seu rosto era branco e suas bochechas vermelhas e tinha a pele tingida de marrom por conta do sol.Ela sorriu e pegou em sua mão, e disse;
-Venha meu anjo, eu vim te buscar.E as mãos de David deixaram de ser enrugada e voltou a ser aquelas mãos fortes de anos atrás, e ele abraçou Helena fortemente e disse:
-Estou pronto, pode me levar para seu lado, meu doce anjo.
Quando encontraram David em seu barco, viram que ele já estava morto. O que chamou atenção das pessoas era que havia morrido sem sofrimento e perceberam que ele sorria como, se do outro lado alguém tivesse sorrindo pra ele e o mais interessante, suas mãos estavam na altura do seu ombro como se ele estivesse sendo abraçado por alguém.E David e Helena caminharam juntos sobre as águas do mar, em rumo ao infinito.
E desta vez David agradeceu a Deus por estar ao lado do seu grande amor de novo e por ser o homem mais feliz desta terra.Quando o amor é verdadeiro ele pode demorar a ser encontrado.
Mas quando realmente existe ele se encontra a qualquer custo e dura pra toda eternidade.




CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui