Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (207)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2525)  
  Resenhas (129)  

 
 
Davi o rei de Israel
José Carlos de Faria
R$ 26,80
(A Vista)



Dessistematizando e...
Adryan Krysnamurt Edin...
R$ 0,00
(A Vista)
INDISPONÍVEL




   > CRÔNICA DE UMA BIPOLAR - PERFIL



katia leandra lima pereira
      CRôNICAS

CRÔNICA DE UMA BIPOLAR - PERFIL

Sou bipolar. Então falo pouco e às vezes falo muito. Sou briguenta, quase louca - às vezes. Às vezes fico calma também.

Sinto-me tão triste, às vezes, quanto sufocada de tanta alegria.

Sou mais de uma pessoa vivendo num corpo só. E essas pessoas precisam de espaço. Me vejo em várias faces no espelho que tenho dentro de mim.

 Estou confusa. Ser dois seres me esgota. Já não sei nem quem fui. Nem quem serei. Nem quem eu sou.

Tudo é uma surpresa para mim. Estou feliz às vezes, estou muito triste outra. Estou num balanço. Estou sentada nele e estou empurrando ao mesmo tempo. Bem devagar e às vezes bem forte e fico no alto.

Sinto medo de descer. O descer é o colocar o pé no chão, e isso não é nada bom. Quero ficar no alto onde nada me alcançará, não estarei com ninguém, me sentirei segura e nem serei ameaça para ninguém. A única a ser vista no alto serei eu e a única a ser vista de baixo serei eu. Ninguém pode me alcançar.

Estou confusa e perdida. E por medo de ser notada tento agir normalmente. Mas odeio isso. O mundo me obriga a ser sensata, mas eu gritaria agora mesmo só porque me deu vontade. Mas não posso. Serei a louca, quando na verdade queria ser eu mesma, sem críticas, sem observações, sem ter vergonha.

Ainda verei muitas coisas e tenho medo disso, mas ao mesmo tempo fico ansiosa para vê-las.

Não sei por que escrevo isto agora, mas deve ter algum significado para mim neste momento, estou expulsando algo contido. Isso é bom porque pelo menos alguma coisa me perturba e está saindo.

Sei que escrevo de forma desorganizada, mas me sinto só. Ninguém é capaz de me compreender. Como conversar com quem não se consegue se entender e se fazer entender? Estou incomunicável.

katialeandra




CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui