Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (653)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (204)  
  Pensamentos (643)  
  Poesias (2504)  
  Resenhas (129)  

 
 
Cidades-03-220
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)



Ressurgindo do Nada
Rosângela Inês Renz...
R$ 21,55
(A Vista)






   > A LANTERNA E A ESCURIDÃO.



Marlene Santos
      INFANTIL

A LANTERNA E A ESCURIDÃO.

A Lanterna sempre que era solicitada
Iluminava a Escuridão.
Mas, já andava meio na bronca
Porque a Escuridão não lhe pagava
E nem lhe agradecia.
Enquanto os visitantes da Escuridão
Ficavam felizes
A Lanterna ficava em qualquer lugar
Esquecida só mandando feixe de luz azuis.
Quando alguém precisava dela para clarear
Trocava-a de lugar.
E ela sempre ligada, iluminada!
Um dia a Lanterna ficou piscando de raiva.
Ela até que gostava de fazer o bem
Mas, vivia com as pilhas fracas
E tinha que fazer um grande esforço para não apagar
Então, resolveu protestar.
Enquanto não trocassem as suas pilhas
Ela resolveu não mais iluminar
E ficou piscando, piscando até apagar.



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui