Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (217)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2529)  
  Resenhas (131)  

 
 
Refletindo sobre EaD e...
Cléber Lemos
R$ 38,50
(A Vista)



O PREGADOR
REGIS MEIRELES
R$ 37,30
(A Vista)






   > O FUTURO ESTÁ ONDE MENOS SE ESPERA



LEOMAR BARALDI
      CONTOS

O FUTURO ESTÁ ONDE MENOS SE ESPERA

Nabuco esteve em dificuldades certa vez em sua vida. Demitido, vivendo uma crise econômica no país. E agora, arranjar, emprego aonde?
Dias e dias naquele desespero.
-Vender picolé?
-Nabuco, tenha  paciência.
-Ler mãos, jogar tarô. Já estou vendo: “Desilusão amorosa. Problemas financeiros, desavenças na família, impotência, depressão, bloqueio sentimental. Procure Nabuco da Fundanga.
-Sei lá.
-Eulália, estou desempregado. E um brasileiro desempregado pode ter uma criatividade impressionante.
-Não sei.
-Não custa tentar.
Pendurou a placa no portão. O futuro está em suas mãos. Nabuco da Fundanga, vidente.
Bateram palmas lá na frente.
-Pois, não?
-Estou com problemas em minha vida.
-Veio ao lugar certo.
-O senhor que é Nabuco da Fundanga?
-Eu mesmo. –disse ele, com uma toalha de banho em volta da cabeça como se fosse um turbante. –Me acompanhe.
A tenda de Nabuco da Fundanga ficava nos fundos da casa. Havia uma mesa, uma bola de cristal. Na verdade o aquário que pegou da sala. O peixinho nadava suavemente. Bolhas subiam para a superfície da água.
-Olha só. –disse a mulher, -O aquário tem até borbulhador.
-Minha senhora, não é borbulhador, é que o peixe tem gases.
Havia uma mesa, cartas de tarô espalhadas.
-Sente-se.
Depois de uns minutos.
-Diga tudo. Tudo. Tudo o que está deixando a senhora aflita.
-Estou desempregada, o meu marido desempregado... Meu marido foi demitido de uma fábrica de cereais matutinos e refeições suplementares...
Nabuco arqueou as pestanas. Ele também foi demitido da mesma fábrica.
-Aposto que ele trabalhava na fábrica de cereais matutinos Aurora Feliz?
-Mas como você sabe?
-Ué, eu sou um vidente. Não sabia?
-Ah, é mesmo.
-Ele tem pressão alta, labirintite, tremores noturnos e sudorese?
-Nossa! Mas, como pode?
-Bem, agora vamos entrar em contato com forças ocultas para que elas ajam na sua vida, retirando todos esse males. Hummmmmmmmmmmmmmmmmmmmm!.. Vai, comigo! Hummmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm!
-Hummmmmmmmmmmmmmmmm!
-Estou vendo.
-Está vendo o que?
-Estou vendo uma porta.
-Um porta?
-Uma porta em sua vida.
-Que bom, uma porta em minha vida! E o que o senhor está vendo? Ela vai se abrir?
-Espere, espere.
-Mas e ela, se abre?
-Sim, sim! Ela vai se abrir.
E a porta se abriu na vida daquele casal. O marido dela arranjou trabalho numa fábrica de portas.
No outro dia, pela manhã, mais uma mulher para se consultar com Nabuco da Fundanga. Levou-a para o seu “consultório cósmico”.
-O marido da senhora foi demitido da fábrica de Cereais Matutinos Aurora Feliz!?
-Meu Jesus! Mas como o senhor sabe?
-Sou vidente, ora. Tenho livre acesso às informações universais, contidas nestas galáxias distantes, trazidas a mim por mensageiros intergaláticos.
-Nossa, mas vim ao lugar certo, então!?
-Mas, claro.


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui