Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (202)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2496)  
  Resenhas (129)  

 
 
O gatinho e o velho...
Airo Zamoner
R$ 10,80
(A Vista)



A Turma do Morro do...
Marcos Wagner Santana...
R$ 33,70
(A Vista)






   > SONHO PRECOCE - 2014 - MONÓLOGO



Luiz C. Lessa Alves
      ENSAIOS

SONHO PRECOCE - 2014 - MONÓLOGO

SONHO PRECOCE - 2014 - MONÓLOGO
 
            - Pai, eu sonhei que o Brasil estava em festa, e que todos nós éramos felizes!
            - [...?!]
            - Sim, felizes porque nos tornamos o primeiro, no centro do universo!
            - [...!]
            - Isso mesmo! De repente uma Estrela aterrissou (condicionalmente, creio) aqui no Brasil...
            - [...?]
            - Como aconteceu, não sei; contudo, com sua vinda cogitou-se mais saúde, escolas, trabalho, segurança...
            - [...?]
            - Também não sei de onde; mas ela chegou, e sabendo da notícia, o mundo aqui veio também.
            - [...!]
            - Para ver só, não, pai! Muitos países chegaram para se apoderar dela.
            - [...?]
            - Valiosíssima! Por ela ser universal, cada nação, democraticamente, organizou um grupo para pleitear sua patente.
            - [...?]
            - Um grupo duelava com o oponente, sendo a Estrela a arma e a prenda.
            - [...?]
            - Tudo isso acontecia em todo território brasileiro! Norte, Sul, Sudeste, Centro-oeste...
            - [...?]
            - Embora real, ela parecia fantasmagórica: seu brilho resplandecia, simultaneamente, pelos recantos mais longínquos da Terra.
            - [...?]
            - Só as pessoas pré-selecionadas e preparadas para tal podiam chegar até ela e tocá-la.
            - [...?]
            - Somente homem. Uma dezena de uma equipe direcionando a Estrela para o lado que lhe convinha, com a adversária tentando inverter; levando-a para o lado oposto!
            - [...?]
            - A meta resumia-se em conduzi-la com os pés, o máximo possível de vezes, até atingir uma parte final da arena.
            - [...?]
            - Pequena. Ela media entre 68 e 70 centímetros de circunferência, apenas; porém, muito cobiçada, pai!
            - [...?]
            - Isso. Do quadro, só um, além dos dez que não utilizavam as mãos, podia segurá-la, e por breve tempo: seis segundos, senão seria penalizado.
            - [...?]
            - Sim. Dezessete regras determinavam a contenda, sob a fiscalização de quatro pessoas neutras.
            - [...?]
            - Ficaria com a Estrela a nação do time mais guerreiro, mais aplicado, mais eficaz.
            - [...?]
            - Participavam algumas dezenas de atletas, no entanto, independente de idade e sexo, o mundo inteiro assistia.
            - [...?]
            - A esses espectadores cabia-lhes o incentivo, a emoção e a festa no final de cada disputa.
            - [...?]
            - Tudo se acabou, quando desferido um último chute, e a luz intensa da Estrela se apagou.
            - [...?]
            - Não tão de repente; mas deixou o povo, em sua maioria, decepcionado e triste.
            - [...?]
            - Não sei dizer quem ganhou, pai, mas posso lhe garantir quem perdeu.
            - [...?]
            - A nação brasileira, apenas!
            - [...?]
            - Porque só ela investiu tudo em um sonho. Só ela viu este sonho, dois anos depois, desmoronar-se, e nada de bom ficou. Foi só ela, pai, e somente ela quem chorou.
 
 



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui