Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (207)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2525)  
  Resenhas (129)  

 
 
A leitura é...
Maristela Zamoner
R$ 31,20
(A Vista)



Ruínas-01-110
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)






   > Só o bobo é capaz de um excesso de amor



Amarilia Teixeira Couto
      ARTIGOS

Só o bobo é capaz de um excesso de amor

"Só o bobo é capaz de um excesso de amor"

Essa belíssima frase que me serve de título, tomei-a emprestada da genial Clarice Lispector.No texto em que essa frase aparece, a maravilhosa autora faz menção à dignidade e demais características do bobo.A todo momento,ela reitera a importância de não se confundir Bobo com Burro.Enquanto este é limitado, atrasado em relação a muita coisa, principalmente nas questões da existência, aquele vive a vida sabiamente, deixando passar batido o que é de somenos, o que apequena o coração, o que maltrata a vida.É interessante a maneira como o esperto vai diminuindo de tamanho à medida que as qualidades do bobo vão se agigantando,como "As vacas voadoras" de Chagall, exemplo dado por Clarice e que ilustra de maneira brilhante o seu pensamento.Terá sido ele,como tantos outros grandes artistas , um bobo?Pode ser, pois a criatividade está mais para as pessoas bobas do que para as que tem na esperteza a sua sobrevivência .
Quando li o texto ao qual me refiro,pela primeira vez, fiquei de tal maneira encantada, que tive o desejo imediato de parafraseá-lo.Faço agora um pequeno resgate do seu conteúdo, talvez pela identificação que tive tão logo o li.Sempre me achei uma boba, quando muito me senti um "gauche" na vida, o que já mencionei em um outro texto.Conheci outros bobos fantásticos e conheci um número maior de espertos,(alguns bem interessantes também, com suas qualidades, justiça seja feita!). Depois de ler essa belezura de texto , confesso modestamente que senti a alma lavada.Não me recordo de nenhum outro autor ter se dignado a tirar o bobo do limbo e colocá-lo assim num lugar de destaque.Alguém se lembra de algo parecido?E para minha alegria maior e de meus caros conterrâneos, ela, a linda Clarice, ainda diz que Minas é o território dos bobos.Bão dimais, sô! Que a gente sempre ouviu uma alusão assim meio enviesada em relação à nossa mineiridade, com certeza.Mas desse jeitinho tão manso, tão deliciosamente carinhoso, nunca vi.E olha que já havia passado pela minha cabeça fazer um intensivo para ficar mais esperta.Agora? Faço mais não.Com todas as desvantagens que como boba posso ter, vou abrir mão da esperteza definitivamente.
E se como a autora diz " Só o bobo é capaz de um excesso  de amor", quero mais é aumentar esse contingente.Você quer entrar para o clube dos bobos?Assim a gente vai fazendo uma corrente de amor por esse mundão afora, pois tenho certeza que eles (os bobos)falam outros dialetos além do mineirês(risos).



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui