Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (217)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2528)  
  Resenhas (131)  

 
 
Arquitetura-01-263
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)



Ensaios - Filosofia...
Maicon Martta
R$ 36,90
(A Vista)






   > Mais amor feinho



Amarilia Teixeira Couto
      POESIAS

Mais amor feinho

" Minha mãe achava estudo
a coisa mais fina do mundo.
Não é.
A coisa mais fina do mundo é o sentimento.
 
Aquele dia de noite, o pai fazendo serão,
ela falou comigo:
Coitado, até essa hora no serviço pesado".
Arrumou pão e café , deixou tacho no fogo com água
quente.
Não me falou em amor.
Essa palavra de luxo."  (Adélia  Prado)
 
 
 
 
O amor anda mudado
Se escondendo entre as modernidades
Já não se vê a verdade nos pequenos gestos
Nem a intenção lúcida no olhar
 
Não.
O amor anda travestido da não-essência
Precisa de grife
De holofotes
De racionalidade até na cama
 
Mulher-dama existe
Por que não?
Mas a companheira vem perdendo espaço
Na sobrevivência
Fazer um dengo
Preparar a janta
Querer agradar...
Ah, isso põe mal-acostumado,
Cria dependência
 
 
 
 
E o homem fazer chamego
Mandar flores sem ser aniversário
Fazer surpresa boa
Assim do nada
E se derreter
Em ternurinhas desavisadas...
 
Ah, mas isso dá segurança
E o amor precisa do desassossego
Da desconfiança...
 
 
 
Que tempo é esse?
Em que disfarce
Se perderam os amantes
De outrora?
 
Ah, eu quero agora
O meu amor feinho
Translúcido
E calmo
Sereno
De pegada boa
Que vê na mulher
A sua
A possível
A mulher real
 
 
E se tiver de lavar panela
Coar um café perfumado
Preparar uma boa sobremesa
Eu vou
De sorriso na cara
De alma lavada
E com o corpo em brasa
Ou
Dependendo da hora
Já acalmada pelas mãos
Do amado
 
 
Quero o sentimento
O momento
A intenção e o ato
Quero amor de fato
Onde o cheiro
O tato
O paladar
E todos os demais sentidos
Falem mais alto
Que qualquer teoria
 
 
E lá vou eu atender
Ao chamado do meu amor...
 



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui