Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (204)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2501)  
  Resenhas (129)  

 
 
Ensaios - Filosofia...
Maicon Martta
R$ 36,90
(A Vista)



DUBLE - A um passo em...
Guilherme Augusto...
R$ 49,60
(A Vista)






   > VIDA ALHEIA



VALCI MELO
      CRôNICAS

VIDA ALHEIA

            Encontravam-se com frequência para conversar. E o assunto predileto, como sempre: a vida alheia.
Neste dia, contudo, melhor seria se não tivessem se encontrado:
            - O que foi?
            - Nada! Ia passando e deu vontade de vir aqui, não posso?
            - Claro que pode! Você é sempre bem vinda aqui, querida! Diga as novidades...
- Não tenho nenhuma. E você?
- Ah! Tenho um babado forte, menina! Sabe o que eu descobri?
            - Não!
            - Mas irá saber agora!
            - Então diga logo, mulher!
            - A empregada de fulano está grávida de quatro meses...
            - Fulaninha?! Êta desgraça! Buchuda?
            - Pois é minha filha... Fiquei besta quando soube!
            - Eu também. Mas não vamos ocupar nosso tempo dando conta da vida alheia, né!          No dia seguinte, passeando pela rua do pequeno povoado, cabisbaixa, a dita cuja encontra outra amiga.
            - O que tens que andas assim com ares de doido?
            - Nada!
            - Eu te conheço fulana! Tu que só anda com os dentes na rua, tá assim que nem Mané perdeu o trem e dizer que não é nada...
            - É por causa duns babados ai mulher...
            - Que babados? Desembuche logo!
            - Sabe o que é?
            - Claro que não!
            - Tô pensando aqui, sabe?
            - Sim...
            - Fulana me disse que fulaninha está grávida de quatro meses. E agora é que estou pensando: como é que aquela coitada vai se virar, tão novinha, sendo mãe?
            - Pois é!
            - Então você já sabia, né?
            - Quem ainda não sabe? A rua tá cheia, minha filha!
            - Mas eu soube ontem!
            - É sempre assim: os prejudicados são os últimos a tomar conhecimento! Mas, e aí, como você e fulano ficaram depois disso?
            - Como assim? Por que isso nos afetaria se quem está grávida é a empregada da casa dos pais dele?
            - Então não lhe contaram ainda que o pai da criança é o seu namorado?
            - Hummmm?!
            A moça só retornou do hospital no dia seguinte...



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui