Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (202)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2496)  
  Resenhas (129)  

 
 
A VINGANÇA DO ANJO
Luc Ramos
R$ 32,10
(A Vista)



O pássaro Refletól
Lucas Borba
R$ 38,50
(A Vista)






   > VIDA ALHEIA



VALCI MELO
      CRôNICAS

VIDA ALHEIA

            Encontravam-se com frequência para conversar. E o assunto predileto, como sempre: a vida alheia.
Neste dia, contudo, melhor seria se não tivessem se encontrado:
            - O que foi?
            - Nada! Ia passando e deu vontade de vir aqui, não posso?
            - Claro que pode! Você é sempre bem vinda aqui, querida! Diga as novidades...
- Não tenho nenhuma. E você?
- Ah! Tenho um babado forte, menina! Sabe o que eu descobri?
            - Não!
            - Mas irá saber agora!
            - Então diga logo, mulher!
            - A empregada de fulano está grávida de quatro meses...
            - Fulaninha?! Êta desgraça! Buchuda?
            - Pois é minha filha... Fiquei besta quando soube!
            - Eu também. Mas não vamos ocupar nosso tempo dando conta da vida alheia, né!          No dia seguinte, passeando pela rua do pequeno povoado, cabisbaixa, a dita cuja encontra outra amiga.
            - O que tens que andas assim com ares de doido?
            - Nada!
            - Eu te conheço fulana! Tu que só anda com os dentes na rua, tá assim que nem Mané perdeu o trem e dizer que não é nada...
            - É por causa duns babados ai mulher...
            - Que babados? Desembuche logo!
            - Sabe o que é?
            - Claro que não!
            - Tô pensando aqui, sabe?
            - Sim...
            - Fulana me disse que fulaninha está grávida de quatro meses. E agora é que estou pensando: como é que aquela coitada vai se virar, tão novinha, sendo mãe?
            - Pois é!
            - Então você já sabia, né?
            - Quem ainda não sabe? A rua tá cheia, minha filha!
            - Mas eu soube ontem!
            - É sempre assim: os prejudicados são os últimos a tomar conhecimento! Mas, e aí, como você e fulano ficaram depois disso?
            - Como assim? Por que isso nos afetaria se quem está grávida é a empregada da casa dos pais dele?
            - Então não lhe contaram ainda que o pai da criança é o seu namorado?
            - Hummmm?!
            A moça só retornou do hospital no dia seguinte...



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui