Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (204)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2501)  
  Resenhas (129)  

 
 
Conquistas,apenas uma...
Itiel Monteiro de...
R$ 26,80
(A Vista)



Catálogo2015-P&B
Airo Zamoner
R$ 13,40
(A Vista)
INDISPONÍVEL




   > Meu amigo Baú



Kate Lúcia Portela de Assis
      INFANTIL

Meu amigo Baú

Era uma vez uma menina.
Era uma vez um baú.
Era uma vez uma menina e seu Baú.
E eles eram inseparáveis!
E era noite...
E a menina guardava tudo dentro de seu Baú: cadernos, bonecas, livrinhos, jogos, lápis, bichinhos de pelúcia, escovas, vestidos, sapatos, medos, mágoas, tristezas, raivas e...
- Espere aí!
Medos, mágoas, tristezas e raivas?!
- E isso se guarda em Baú?...
Não sei... mas que a menina guardava... guardava!
E o Baú ia ficando cada vez mais cheio.
E era noite...
E os pais a repreendiam.
- Larga desse Baú, menina! – gritava a mãe.
- Ah, vai logo brincar com seu Baú, vai, menina! – gritava o pai.
E cada vez que a menina levava uma bronca...
Ela guardava seus sentimentos no Baú.
E cada vez que a menina brigava com suas amiguinhas...
Ela guardava seus sentimentos no Baú.
E cada vez que a menina tinha medo do escuro...
Ela guardava seus sentimentos no Baú.
E era noite.
E cada vez o Baú ia ficando mais cheio, mais cheio, mais cheio.
Até que um dia o Baú encheu de vez.
Não cabia mais nada!
Nem uma raivinha, nem uma bonequinha.
Mem uma tristezinha, nem uma escovinha.
Nem um medinho, nem um sapatinho.
E era noite.
E a menina teve que pedir ajuda à mãe,
- Vamos arrumar esse Baú, filha? – propôs a mãe.
E a menina e a mãe começaram a pôr ordem no Baú.
Mas era muito trabalhoso!
E o papai começou a ajudar.
E a vovó começou a ajudar.
E o vovô começou a ajudar.
E os tios e as tias resolveram colaborar.
E os priminhos e as priminhas resolveram colaborar.
E os amiguinhos e as amiguinhas resolveram colaborar.
Veio até uma tal de terapeuta.
E o Baú ficou mais leve, mais leve, mais leve.
Os medos diminuíram...
Da mágoa não se ouviu mais falar...
A tristeza foi-se embora...
A raiva foi desaparecendo...
E o baú se transformou, como num passe de mágica, em um simples...
Baú.
Um Baú onde a menina passou a guardar seus tesouros:
Uma foto do papai e da mamãe.
O guarda-chuva da vovó.
O chapéu do vocô.
Um livro dos tios.
Brinquedos dos priminhos.
Bonecas das amiguinhas.
Desenhos para a terapeuta.
E o Baú se encheu de Magia,
De Harmonia,
De Fantasia,
E dia Dia!
Porque a noite... a noite passou!...
 
 
 
 


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui