Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (217)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2528)  
  Resenhas (131)  

 
 
Sobre gatunos e...
Erasmo Júnior de Melo...
R$ 49,60
(A Vista)



Ruínas-01-110
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)






   > Somente a saudade traz o amor de volta



Amarilia Teixeira Couto
      POESIAS

Somente a saudade traz o amor de volta

A saudade é o que faz as coisas pararem
no Tempo. ( Mário Quintana)



A saudade que me doía no peito
E que me fazia as lágrimas rolarem na face
Arrefeceu um pouco com sua presença
Que sempre me resgata o brilho dos olhos
No momento que seus braços
Me prendem num doce enlace
E suas mãos me acariciam suavemente
despertando do seu jeito
Tão sedutor e terno
Toda a amorosidade que há em mim


Sempre foi assim a nossa história
A entrega se fez presente
desde o primeiro instante
O tempo parava
E somente a emoção se resvalava
Por toda a nossa geografia
Ah! Quem pode se entregar
Se deliciar no mel do amor
E não conhecer a saudade?


“A saudade faz as coisas pararem no tempo”
O que foi vivido sob a égide do amor
Se eterniza
Se torna indelével
Vira tatuagem na alma
Invisível a todos e tão vívida
A quem a traz consigo


Mas se existe a “saudade matadeira”
Existe também a redentora
A que faz o choro brotar nos olhos
Mas limpa a alma
Aduba o coração
E provoca a mudança


A saudade não paralisa
Não endurece
Não amesquinha


Pode sentir saudade
um coração empedernido?
Pode quem nunca amou
Se esconder num cantinho
Chorar de mansinho
E logo depois sorrir docemente
E chegar até a falar sozinho?


Pode não!

Então a razão de minha saudade
Me veio novamente à noitinha
Com outras intenções no olhar
Mas veio...

E o carinho surgiu facilmente
Os beijos aconteceram envolventes
Como os abraços macios
que adornaram toda a noite
E a ausência desta vez tão prolongada
Que chegou a doer como açoite
Se transformou numa presença linda
Que ainda
Nos conduz ao êxtase


E a saudade adormece
Quando você vem
Para ser minha “meiga senhorita”
A me acompanhar como amiga inseparável
Até que você me venha novamente
à tardinha
Ao amanhecer
Ou num raio de luar







CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui