Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (204)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2501)  
  Resenhas (129)  

 
 
Natureza-03-181
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)



Arquitetura-01-263
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)






   > O pássaro sem cor



Kate Lúcia Portela de Assis
      ARTIGOS

O pássaro sem cor

Imagine um pássaro que não tivesse uma única cor...
Um pássaro triste.
Não cantava.
Não voava.
Até que resolveu pedir a ajuda do Pássaro Sábio.
Então, ficou sabendo que, para se enfeitar de cores, precisava descobrir a magia que existia em seu interior.
Sua jornada se inicia.
A jornada de todos nós.
A viagem interna.
A busca do real sentido da vida.
Voou, voou, voou...
Em seu caminho, encontrou pessoas em perigo.
Ajudou-as.
Ficou vermelho.
Azul.
Verde.
Rosa.
Colorido.
Descobriu a magia do amor.
Reconheceu-se no outro.
Venceu-se.
A história de Luís Norberto Paschoal é rica de sentidos.
Com ela, podemos trabalhar as cores, entre os pequenos e o simbolismo das cores, entre os maiores.
A solidariedade.
O autoconhecimento.
Valores, enfim.
Certa vez, ouvi a metáfora de que somos pássaros.
A fim de voarmos, precisamos usar a asa do amor e a da sabedoria.
Por vezes, encontramos obstáculos em nossa caminhada, mas a perseverança deve prevalecer.
Como nos lembra o poema de Mário Quintana:
“Todos estes que estão aí
Atravancando o meu caminho
Eles passarão
Eu passarinho!”
Sejamos pássaros coloridos!...


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui