Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (204)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2501)  
  Resenhas (129)  

 
 
Catálogo2015-P&B
Airo Zamoner
R$ 13,40
(A Vista)
INDISPONÍVEL

Na Mesma Moeda
Livino Virginio...
R$ 49,60
(A Vista)






   > Minha Consciência é Clara!



Daniel Machado
      ENSAIOS

Minha Consciência é Clara!

Enquanto a palavra for à representação
de justiça,o ato é secundário.
 Por Daniel Machado

Vivemos no duelo entre ingenuidade x vantagem. Os favorecidos são aqueles que manipulam as condições, ficam então suas malevolências na facilidade de ser ambíguos, ou espertos. Afinal ‘’o mundo é dos espertos diz o dito popular’’ Ter condição de mudar algo, não quer dizer mudança, pois o favorecimento que buscamos vai de encontro à postura que julgamos ser reconhecida como ideal. Se o mundo é dos espertos, onde esta a esperteza de preservá-lo? Falamos bastante de sustentabilidade e projetos de cunho sócio educativos, o que não falamos é justamente qual tem sido o impacto direto dos projetos divulgados para a comunidade periférica?
O status tem sido não apenas tema de musica nos guetos como também o regimento que diferencia a subdividida classe marginal, perpetuando o status favorável a elite. Brigamos ainda por espaços cedidos na classe operaria, lotamos as filas no nosso Brasil, fila pra pagar, fila pra comprar, fila pra ir trabalhar, fila para ser atendido no Hospital, enquanto sobram vagas nas poucas bibliotecas que temos, as galerias de arte sim conseguem contrapor essa realidade com artistas populares, expondo no campo de visão do povo, as ruas.
Hoje a arte do grafite, e por que não a resistência do protesto expressado, tem sido exemplo para vários moradores de comunidades em São Paulo. “Nossa! Que destreza a pobreza do individuo.” Enquanto confiamos cegamente nos discursos, o ato ingênuo tem sido abolido de nossos hábitos, deixando nos levar pela falsa aspiração ao poder.  
Respeitamos sim a pergunta:
O que eu vou ganhar com isso?
E é isso que todos querem ganhar. Se a resposta for experiência, não será valido para alguns. Na evolução de nossa humanidade o valor é garantir cada vez mais o preço a ser pago, e esse é alto, só assim devemos dar valor.
O lucro esta, onde o sensacionalismo ganha premio.
O ato exposto quando causa desgosto é bem visto, nu previsto aumenta a audiência. Essa é a vigência. Construímos a sociedade moderna, na baderna. E quem paga o pato até hoje somos nós, a classe dominada.
 


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui