Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (653)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (204)  
  Pensamentos (643)  
  Poesias (2504)  
  Resenhas (129)  

 
 
Sobrevivendo da...
Marilia Zamoner
R$ 66,90
(A Vista)



Memórias do Velho...
Heráclito Júlio...
R$ 37,70
(A Vista)






   > INCLUSÃO, ARTE E EDUCAÇÃO



EDIJANE ARANTES
      ARTIGOS

INCLUSÃO, ARTE E EDUCAÇÃO

 Este presente artigo vem demonstrar o valor da educação especial no seu envolvimento com as artes quer seja: visual, musical ou teatral, faz necessário que tanto pais quanto educadores participem no desenvolvimento dessas habilidades. A construção de uma sociedade inclusiva requer uma busca de valores que já estão contribuindo para a inserção de portadores de deficiências tanto no campo educacional quanto no profissional, visto que, seus esforços vão muito além que se possam imaginar. A valorização humana demonstra que somos iguais perante uma sociedade discriminatória, e esses valores podem ser levados em consideração, visto que, alunos especiais podem desenvolver habilidades iguais ou até melhores que os normais.
PALAVRAS CHAVES: Artes, Inclusão diversidade e Educação.
Existe um grande envolvimento de Arte e Educação. Quando um artista alcança seu significado verdadeiramente na representação, é através da arte que é tomado por um desejo de realização tentando retratar sua objetividade, onde se dá o sentido na criação.
O artista se torna capaz de constituir uma linguagem perfeita, transformando seu desejo, revelando seus anseios ou repúdios do ambiente social que está inserido. Neste sentido a arte dá a possibilidade ao artista de transpor barreiras da realidade, utilizando a ilusão como forma de fuga dessa realidade, que em momentos lhe estava afligindo.
É importante relevar que nem todos têm acesso à educação por excelência, visto que são excluídos do ambiente educacional. Por não se adequarem aos paradigmas convencionais. A arte vem para desmistificar essa exclusão social.
Pode- se observar que a questão da deficiência deve ser tratada sob o ponto de vista igualitário, onde se tem capacidade e dom artístico. Faz-se então a necessidade da educação inclusiva que promova a interação e aceitação das deficiências nas diversidades humanas. Cada ser humano tem possibilidade de sobressair em um determinado campo das artes, seja ela: visual, teatral ou musical.
Somos iguais e todos têm direito a educação de qualidade. A importância social e educacional é relevante, visto que a Arte contribui de alguma forma para a interação e a inclusão social de alunos portadores de necessidades educacionais especiais possibilitará que as atividades desenvolvidas para o envolvimento de interação e inclusão social de portadores de necessidades educacionais especiais.
Ao analisar as necessidades dinâmicas dos alunos, é papel do educador buscar e organizar perspectivas de aprendizagem, dando condições de interação no ensino aprendizagem. É sabido que as dificuldades de informações ou habilidades estão presentes todo instante é importante que professores e todo ambiente escolar busquem diretrizes para formação de habilidades nesses alunos com necessidades especiais.
Enquanto não existir o anseio de profissionais dispostos a mudanças, de foco maior a inclusão, nada poderá ser feito. As diferenças devem ser vistas como meio de fornecer ao educando potencialidades de uma sociedade inclusiva.
O respeito à diversidade vem de topo com os novos paradigmas e expectativas do poder público. A diversidade deve ser vista como forma de cooperação de alunos e professores no quadro educacional brasileiro. A respeito de arte, é demonstrado que muitos dos alunos especiais desenvolvem tão bem quanto os chamados "normais, seus esforços vão além do que muitos possam imaginar.
As expectativas e o compromisso de valorizar cada cidadão, especiais ou não tem como propósito a qualificação de profissionais que são capazes de atender a realidade a diversidade e as potencialidade de cada individuo.
Nosso alunado no século XXI, tem tido mais valorização tanto no âmbito escolar quanto social. Muitos aspectos têm sidos levantados quando se diz respeito às diversidades. A preocupação do sistema em incluir todos os cidadãos no convívio social. De acordo com a Constituição de 1988, que prevê: o pleno desenvolvimento dos cidadãos, sem preconceito de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação; garante o direito à escola para todos; e coloca como princípio para a Educação o "acesso aos níveis mais elevados do ensino, da pesquisa e da criação artística, segundo a capacidade de cada um".
Esta prática educacional no Brasil ainda é falha, porém vem ocorrendo à busca de alguns profissionais por conhecimentos nesse âmbito. No que se diz respeito à educação especial está presente, quebrando os paradigmas e valores que tristemente ainda existe.
Esta participação nos diferentes espaços culturais gera conflitos e provoca reflexão, visto que, o aluno especial deve ser educado e disciplinado como qualquer outra criança.
Os pais e o ambiente escolar devem ensinar-lhe os limites, não permitindo que ela faça tudo o que quiser. Será necessário maior cuidado e atenção, porque a criança pode demorar mais para aprender as coisas. É importante lembrar que ela pode demorar a aprender as coisas, mas aprenderá.
Contudo se torna eficaz a utilização da arte em seu aprendizado. Freqüentemente muitos alunos com necessidades especiais são atraído para as artes inclusive a música. Para alguns, a música pode ajudar a superar obstáculos que não possam superar. Ajudando a aguçar sua sensibilidade, a fim de juntar outros, a música realmente significa, sobretudo, em um cenário educacional meios de inserção de vários indivíduos no campo artístico.
O teatro também pode ser trabalhado, podendo ser um aliado a na inclusão, a arte tem como principio elevar a auto-estima ao deficiente e a família, onde juntamente poderão desenvolver habilidades. A arte é e será sempre um instrumento para todos que tem algum tipo de problema físico, mental, e também é de grande ajuda para todos que não portam nenhum tipo de deficiência.
A arte nos leva para outro campo da vida, onde podemos expressar com compreensão e sentimento, nossos anseios e dificuldades. A arte nos leva a descobrir a realidade que nos envolve e que poderá ser renovada. O processo ensino aprendizagem enriquece a todos.
Respeitar cada ser em suas superações e habilidades, partindo de um pressuposto de que somos iguais tanto para Deus quanto para o homem.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Alves, Rubem. A Alegria de Ensinar. 3ª ed. São Paulo: Ars Poética, 1994.
Alves, Rubem.O Desejo de Ensinar e a Arte de Aprender. - Campinas: Fundação Educar Dpaschoal, 2004.
Brasil. Ministério da Educação. Diretrizes nacionais para a educação especial na educação básica/ Secretaria da Educação especial- MEC; 2001.
Inclusão: Revista de Educação Especial/ Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial. v.1, n.1 (out. 2005). Brasília: Secretaria de Educação especial, 2005.
* Edijane Arantes de Oliveira Ribeiro, graduada em História, especializada em Artes, História e Literatura: abordagens interdisciplinares. Professora de História na Rede Pública Municipal de Edealina- Goiás.
 
 


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui