Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (204)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2501)  
  Resenhas (129)  

 
 
R$ 46,40
(A Vista)



Scompigliare Brasilia
Airo Zamoner
R$ 29,50
(A Vista)






   > Vizinhas do interior



Luiz Antonio Polli
      CRôNICAS

Vizinhas do interior

A tarde chega, por volta das dezesseis horas as vizinhas vão se encontrando, pois toda a tarde elas se reúnem para tomar chimarrão, sentam na beira do fogão à lenha e fazem um “paiero”, começam a fumar e tomar chimarrão. Passam horas jogando conversa fora, falando da vida das pessoas, com algumas frases parecidas com essas:

_Vou contar para você, se você contar para alguém e vierem me perguntar eu juro com os pés juntos e falo que não fui eu. Sabe o fulano, então, não podia te contar, mas como somos amigas vou contar só para você, prometa para mim que você não vai contar para ninguém.

De repente passa um carro, logo elas se levantam e ficam sondando para ver quem é, e assim já encontram mais um assunto. A noite chega, a visita se levanta, se despede da dona casa e fala que vai embora, a dona da casa vai acompanhá-la até o portão e ali elas ficam mais algum tempo conversando, quando percebem está começando a novela, então elas se despedem todos os dias com a mesma frase:

_A tarde passou muito rápido que nem deu tempo de nós conversarmos, deixamos um pouco para amanhã. 



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui