Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (207)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2525)  
  Resenhas (129)  

 
 
Arquitetura-01-263
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)



Depressão na...
Josiane Rosa Campos
R$ 31,70
(A Vista)






   > Mal reflexo



ALINE JULIANA PEREIRA DA SILVA
      PENSAMENTOS

Mal reflexo


- Maldito espelho que me assombra. Quero vomitar. Quero correr. Sumir. Gritar. Por que sou assim? Maldito cabelo. Maldita roupa. Maldita espinha no rosto. Maldita vida.

 

Olho para o lado. Olha para o outro.
Chora. Sentir-se arrasada. Liga o chuveiro. Não quer que ninguém lhe escute. Ninguém pode desconfiar. Ninguém pode saber que está a morrer por dentro. Em um movimento desesperador, enfia o dedo na goela querendo jogar toda a sua agonia e tristeza em um vômito só. Repete esse movimento várias vezes.
Olha para a pia e diante de tudo que comeu durante o dia, não consegue ver nada além de nada. Olha para o espelho. Seu rosto vermelho e pálido não lhe convence. Está morrendo, mas ela não sabe e nem desconfia.

 

-Gorda! Gorda! Mil vezes gorda.

 

Chora novamente. Grita para si mesma. Sua dor é um temporal de sentimentos grotescos. Respira fundo, alguém bate na porta do banheiro. Fica em silêncio por alguns segundos até dizer que já vai sair. Limpa a bagunça. Tenta acalmar-se e sai naturalmente. Rir para todos.
É outra pessoa...

 

Na janta não consegue fugir, tem que comer para provar que não é nenhuma psicopata doente por anorexia ou bulimia. Ela é normal ou pelo menos finge ser. E logo após corre ao seu berço.
Começa tudo de novo...

 

Cof Cof Cof.

 

Os efeitos colaterais já surgiram há muito tempo. Sente-se fraca e indisposta. Diarreia. Sem apetite, durante todo o tempo, aliás. Sentimento de culpa ao comer. Sentimento de frustação, tristeza e agonia. Por vezes tem pensamentos suicidas e o que é pior de tudo, se acha normal.

    Sente-se confortável ao enfiar o dedo na goela. É como se fosse um remédio para sua dor. Quer expulsar o que lhe provoca um peso a mais. Tem medo. Ao olhar uma balança foge sem pensar duas vezes. E a vida passa e ninguém percebe. Ela finge bem. E a cada dia vai morrendo por dentro. E a cada dia vai tornando-se um vício.

 

Ciclo vicioso. Maldita doença!



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui