Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (207)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2525)  
  Resenhas (129)  

 
 
Enredos do Meu Tempo
Roberto Villani
R$ 30,50
(A Vista)



OBJEÇÃO DE...
ALEXANDRE STURION DE...
R$ 36,10
(A Vista)






   > Viver em paz é tirar a venda dos olhos



Luiz Antonio Polli
      PENSAMENTOS

Viver em paz é tirar a venda dos olhos

Sentado em uma montanha vendo o pôr-do-sol, observo que ao meu redor há muitas maravilhas que são dadas para mim e para você gratuitamente, riquezas de valor incalculável.

Dentro do meu coração bate uma dor enorme de arrependimento, de todas as vezes que estava preocupado e correndo atrás dos meus interesses pessoais, e deixei de prestigiar as belezas que existem em nosso planeta, quantos pores-do-sol eu perdi, deixando de apreciá-los para ir assistir televisão, ou quando, às vezes fiquei preso no trânsito infernal, vindo trabalho, com o barulho dos motores, buzinas e observando a poluição gerada pelos carros, caminhões, ônibus e fábricas, e assim, eu não conseguia ver a noite chegar, pois tudo era consumido por aquela fumaça. Eu chegava cansado em casa, tomava um banho, fazia uma rápida alimentação e já ia dormir, por muitas vezes, acordava tarde e não pude ver o amanhecer, e quando acordava cedo, com a preocupação de chegar a tempo ao trabalho, eu não conseguia apreciar toda a riqueza que me era dada gratuitamente, eu não conseguia ver os primeiros raios de sol, que vinham me iluminar e aquecer.

Andei por anos com essa venda em meus olhos, sem contar as vezes que andei por labirintos sem chegar sequer a algum lugar, voltas e voltas para satisfazer o meu consumismo, deixando de observar os pássaros, os animais, as plantas e a paisagem que dão vida e transformam esse planeta em algo misterioso de tantas belezas que não há explicação.

As estrelas destacam-se no céu deixando a noite mais linda, a lua passa por quatro fases e eu não consigo observar se quer uma delas, sem contar todas as outras maravilhas que deixei de vivenciar por causa de minhas preocupações e correrias, tudo para satisfazer o meu consumismo.

Nessa montanha vendo esse lindo pôr-do-sol, nessa tarde, eu me arrependo de não ter tirado essa venda antes de meus olhos. Foram muitas as caminhadas em que tentei me satisfazer, mas somente hoje, eu encontrei a felicidade e a satisfação de viver em paz, pois a riqueza está a nossa frente e vamos encontrá-la somente quando tirarmos a venda dos nossos olhos, e nesse momento o nosso coração vai se encher de paz e amor, e então, tudo o que parecia não ter significado algum, agora passará a ter. 



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui