Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (202)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2496)  
  Resenhas (129)  

 
 
Como Fazer...
Maristela Zamoner
R$ 21,10
(A Vista)



Veículos-02-201
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)






   > Foi na dor que aprendi a ter paz...



Luiz Antonio Polli
      CONTOS

Foi na dor que aprendi a ter paz...

Chegam as férias de fim de ano, Diego não queria passar uns dias na casa dos avos, adolescente, apaixonado pela cidade grande e por jogos eletrônicos, essa era a rotina de seu dia a dia, pois ele tinha vergonha de falar para os seus amigos que a origem de sua família era do interior.
O pai de Diego insiste para ele ir passar uns dias na casa de seus avos, mas de tanto seu pai insistir, acabou convencendo-o, e então, logo vai ajudá-lo a arrumar as malas no carro e em seguida seguem viagem.
A noite ia chegando, eles estavam na estrada, então, a mãe de Diego pede para parar o carro na próxima parada, pois está com sede e precisa comprar uma água, pois haviam se esquecido de levá-la para a viagem.
Assim fizeram, quando avistaram uma pequena lanchonete eles pararam, todos desceram do carro, entraram e pegaram algumas águas e alguns pacotes de salgadinhos e biscoitos, eles passaram no caixa para pagar a conta e seguir viagem, mas um noticiário da televisão chama a atenção de Diego, que logo chama seus pais para assistir também, eles acabam vendo que uma forte tempestade se aproximava, o dono do pequeno estabelecimento tenta convencê-los de não poderiam seguir viagem, pois era muito perigoso, dizendo que eles deveriam ficar no estabelecimento até a tempestade passar. O pai de Diego, porém, não concorda com o convite e resolve que eles devem prosseguir viagem.
Depois de algumas horas de viagem eles pegam uma forte tempestade, não conseguindo mais dirigir eles revolvem parar o carro para esperar que a tempestade aliviasse para prosseguirem, mas a tempestade não parava e os relâmpagos clareavam todo o céu, Diego estava impressionado, pois em cada relâmpago ele conseguia ver todas as montanhas, assim, ele estava achando tudo muito lindo. Enquanto isso, seu pai permanecia com medo e arrependido de não ter aceitado o convite do pequeno comerciante e por causa do medo, eles acabam dormindo no carro.
O dia já ia amanhecendo, Diego foi o primeiro acordar e abre a porta do carro, então, lentamente ele vai saindo e começa a ver um lindo amanhecer de um lugar bem alto, ele nunca tinha visto algo parecido e deslumbrante como aquele cenário, logo seus pais acordaram e vão junto de Diego ver e prestigiar aquela linda maravilha, esse foi o primeiro nascer do sol que passaram em família.
Depois de algum tempo observando o amanhecer, eles seguem viagem, chegando ao sítio do avô e acabam observando uma tragédia, a tempestade havia destruído o telhado da casa e seu avô estava tentando arrumá-lo, mas sua idade avançada não lhe dava muita disponibilidade e destreza para o trabalho, então, todos assustados descem correndo do carro e vão ajudá-lo, depois de horas de trabalho conseguem arrumar todo os estragos. Diego vendo um lindo sorriso no rosto de seu avô se aproxima e lhe dá um abraço, questionando-o de como ele conseguia sorrir depois de todo o prejuízo que levou com a tempestade.
Seu avô, com muita calma, retira o chapéu de palha e o coloca no chão com muito cuidado, olha dentro dos olhos do menino e explica que os maiores valores da vida não são os materiais, mas a paz, o amor, a dedicação e a confiança, ele diz ainda, que devemos acreditar que cada momento que passamos em nossa vida é um aprendizado para o nosso crescimento, tudo é uma nova descoberta.
Diego era um menino meio durão e mimado, mas, nesse momento, começa a encher seus olhos de lágrimas, então, ele comenta com seu avô que viu um lindo amanhecer, seu avô, sorrindo, caba percebendo que seu neto começa a ter uma nova visão e está passando por um processo de crescimento.
Diego acaba percebendo que nunca sentiu a paz em seu coração, em toda a sua vida, como estava sentindo naquele momento e deu um forte abraço em seu avô, passando horas conversando.
A noite chega e seu avô comenta que não está se sentindo bem, Diego e seu pai resolvem levá-lo em um pequeno posto de saúde próximo, chegando lá, não havia médico, a saúde de avô estava piorando cada vez mais, ele não resiste e acaba falecendo.
Diego não se conformava com tudo o que estava acontecendo, vê seu avô que estava sendo enterrado e com uma dor insuportável em seu peito, fecha os olhos e começa a relembrar do último sorriso de seu avô, e ele volta a sentir uma grande paz em seu coração, ele sente que deve voltar para cidade, se dedicar aos estudos, e se tornar um médico para atender as localidades mais retiradas da cidade grande, pois se naquele momento que seu avô passou mal houvesse um médico, ele poderia ter salvado a vida dele.
Diego acaba percebendo que tudo o que aconteceu foi para ele mudar o seu pensamento e passar a ajudar as pessoas, pois o seu avô ficaria orgulhoso dele, pois a verdadeira riqueza não está nos bens materiais, mas sim no sorriso, nas obras, na fé e nos sentimentos que recebemos das pessoas.
Através da perca do avô, Diego passa a ter uma visão com mais compaixão do próximo, reconhecendo que o mais importante é termos paz em nosso coração e satisfação em ajudar o próximo.


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui