Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (204)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2501)  
  Resenhas (129)  

 
 
Educação Ambiental na...
Maristela Zamoner
R$ 29,50
(A Vista)



Passagens-02-082
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)






   > Perdi tudo



Luiz Antonio Polli
      CONTOS

Perdi tudo

Filho de um empresário de sucesso, ele cresceu na cidade, estudou sempre em colégios particulares e formou-se em administração a pedido do pai, para assumir futuramente a presidência da empresa.

Os anos passam, ele toma a frente dos negócios do pai, com ideias renovadas, em pouco tempo os negócios têm crescimento espetacular, com isso, todos os concorrentes ficam assustados com o desempenho da empresa, a cada dia as metas eram batidas e superadas. Seu pai tinha o maior orgulho de ver seu filho, ainda jovem, administrar todos os seus negócios.

O filho vivia uma vida de rotina, sempre correndo atrás para adquirir novos investimentos, quando resolveu investir no ramo de mineração. Junto com a equipe que administrava, foram conhecer a área que iria ser explorada, com camionetes 4x4 estavam conhecendo todo o local para começar os estudos e então saberem por onde iriam começar a exploração.

Era um lugar de difícil acesso, onde as camionetes não conseguiam entrar, uma equipe ia à frente abrindo uma picada para o restante poder prosseguir a caminhada. Foram horas de caminhada até chegarem a uma paisagem deslumbrante, mas o jovem empresário não queria saber e muito menos admirar aquela linda paisagem, o seu objetivo era apenas ter mais faturamento, ganhando e aumentando a fortuna da família. Então, de repente eles avistam uma fumaça que vinha logo próxima de onde eles estavam, e logo ele foi ver se havia alguém em cima de sua propriedade, assim, com o GPS foram vendo onde era a divisa de terrenos para tirar as suas dúvidas, e chegaram à conclusão de que havia uma pequena comunidade de pessoas que moravam e tiravam sua sobrevivência do próprio lugar.

Furioso com a situação, o jovem chega e vai logo gritando e quebrando tudo  o que encontra pela frente, fazendo um  escândalo e com a ajuda de sua equipe, eles quebravam e batiam naquele povo humilde. Furioso, ele atira fogo em uma casa, queimando-a por inteira. Uma senhora bem velha, sentada em cima de uma pedra observa tudo o que está acontecendo, o jovem olha nos seus olhos e vai em sua direção perguntar o que significava aquilo, se era uma invasão em suas terras, então, gritando, ele pede para todos se retirarem e irem embora. A velhinha abrindo um pequeno sorriso, com uma voz muito suave e os olhos cheios de lágrimas diz:

- Pobre menino, não sabe o que faz, corre atrás do dinheiro e não conhece o maior tesouro, destrói, passa por cima e pisa nas pessoas como se fossem as próprias pedras nas estradas, além disso, destrói a mãe natureza! Para a sua informação, nós não invadimos suas terras, é você que está invadindo a nossa casa.

Ela continuou falando com aquela voz suave, o jovem empresário ficou sem ação, o homem capitalista pela primeira vez não sabia o que dizer. Bravo, ele pede para a sua equipe o seguir, um de seus homens pede para observar o modo que aquele povo vivia, eles trabalhavam cultivando os seus alimentos e possuíam algumas criações, mas o que mais chamou a atenção foi o meio que eles produziam a energia, era energia solar, e o lixo produzido por eles, era consumido no próprio lugar, era um povo que tinha um conhecimento que ia além de pessoas da cidade. Assim, meio sem jeito, o jovem empresário se aproxima da velhinha e pergunta:

- Como vocês fazem isso? Quem os ensinou esse sistema de energia solar, cultivo usando métodos modernos, sem coleta de lixo, como vocês desenvolveram isso?

A senhora olha em seus olhos e diz:

- Menino maldoso, você quer tirar proveito lucrativo em cima de nós, conhecendo e depois vendo o que aprendeu aqui, querendo passar pela mídia como uma pessoa consciente da preservação ambiental, mesmo sabendo que suas empresas são as que mais causam poluição e mais exploram e destroem a mãe natureza.

O que você quer dizer com isso?

- Sente-se, que vou lhe contar, eu morava na cidade, era casada com um homem muito poderoso e com ele eu tive um casal de gêmeos, um era como pai, de gênio forte, desde pequeno queria os melhores brinquedos, não sabia dividir e o outro era mais simples, tudo para ele estava bom, de tanto viver essa vida de humilhação com meu marido, sem eu nem sequer poder educar os meus filhos, tomei uma decisão, tentei fugir de casa com os meus dois filhos, mas o que tinha o gênio do pai me mordeu e não quis vir comigo, pois eu não dava para ele o que ele queria, e ainda me disse que não tinha mãe e sim só pai. Então fugi somente com um filho, com os estudos que tive eu passei todo o conhecimento para o meu filho, quando chegamos aqui esse povo vivia no meio do lixo, sua sobrevivência era a pesca e a caça; as crianças passavam fome, pois com o tempo foi ficando escassa a alimentação. Assim, começando pela conscientização iniciamos o trabalho, mais tarde o meu filho foi para cidade buscar conhecimento e aperfeiçoamento para nos ajudar e conseguir conforto para esse povo, mas com metas renováveis para a natureza, onde não vivemos de exploração, mas sim fazendo a recuperação da área.

O menino disse:

Que história boba e sem noção, isso não tem fundamento velha louca.

- Não sou louca, você é que ainda não entendeu a história, aquela casa que acabou de queimar tinha uma pessoa dentro, que sofreu um acidente e permanecia por meses na cama, e você o matou quando queimou a casa, esse menino era seu irmão e eu sou a sua mãe! O seu pai é um homem que busca riqueza material e você segue os passos dele.  Filho eu tenho muita vergonha de você.

Chorando, ele cai aos pés de sua mãe e pede perdão. Sua mãe pede para ele se levantar e lhe dá um abraço, nesse momento sua mãe sente uma dor muito forte em seu peito e acaba morrendo, ele se ajoelha no chão, com sua mãe no colo e começa a chorar.

O jovem sai correndo pelo caminho que o levou até sua mãe, chorando inconformado com tudo o que estava acontecendo, ele vai em direção da empresa procurar seu pai, entra no escritório, bate a porta e começa a brigar com ele:

- O senhor não poderia ter feito isso comigo...

- O que eu te fiz filho?

- O senhor fez a minha mãe ir embora e hoje eu a conheci, ela morreu em meus braços. E o pior, eu matei o meu irmão, e o culpado de tudo isso é você, por que fez isso pai?

- Filho, eu fiz por amor, eu queria te dar tudo, te ensinar tudo e fazer de você o homem mais poderoso e rico de todos.

- Pai, eu daria todo o meu dinheiro, abriria mão de tudo, só para não sentir essa dor que eu estou sentido agora.

Terminando de falar isso, ele se joga do prédio e acaba morrendo. Seu pai fica muito triste, pois não tinha ninguém em sua família que gostasse dele, pois ele era um mercenário.

Com todas essas tragédias em sua família e o egoísmo de querer possuir cada vez mais, ele acabou vendo que todos os seus esforços não tiveram se quer algum valor, pois a sua maior riqueza ele tinha perdido, a única coisa que restou à ele foi viver o resto de sua vida sozinho.



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui