Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (638)  
  Contos (932)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (202)  
  Pensamentos (638)  
  Poesias (2495)  
  Resenhas (129)  

 
 
Arquitetura-01-263
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)



Contradições
Marcos de Sena Pereira
R$ 30,50
(A Vista)






   > Pedagogia do Amor



Josias Alcântara
      ARTIGOS

Pedagogia do Amor



Vivemos uma época de calamitosa incerteza (Martin Luther King)

A humanidade caminha de mãos dadas, rumo ao caos. Os valores se invertem, mergulhados nas valas da hipocrisia. O amor que sempre foi o marco da esperança, da fé, da solidariedade existencial, antes praticada olho no olho, hoje é substituído pela tela de um computador ou vídeo de um televisor, até mesmo pelo marketing do imediatismo. Uma espécie de ditadura da frieza.

A família era mais unida. Hoje, vai se destruindo nos tentáculos de atividades objetivas, onde o casal, a cada dia, tem menos contato com os seus filhos. Tentar ser alguém no futuro era, sobretudo, motivo e instrumento de interesse pessoal. Ir à luta, era buscar garantir a possibilidade única de vencer e tornar-se , um profissional de referência.

Tinha-se, voluntariamente, uma conduta reta compartilhada pela amizade sem preconceitos, hoje, satirizada por “alguns” usurpadores da fé alheia.

O individualismo sempre existiu, mas agora predomina, em todas as esferas do relacionamento humano, com uma força jamais vista. São tempestades de areia invadindo as famílias. As escolas construíam os homens, para serem auto-suficientes. Hoje estão sendo transformados em clientes e instigados a ter, muitos antes de estarem preparados para solidificar os projetos de seus anseios.

O romantismo era a sensação máxima do afeto, em todos os patamares da vida. Hoje, mutilado pelo pessimismo dessa geração individualista. Tudo se resolve num clicar de salvar ou deletar um relacionamento.

A fragmentação da linguagem está mutilando a essência do diálogo, ou talvez um medo, um profundo medo de ser, interfira na evolução pessoal dos menos preparados, até por falta de estímulos, ou ousadia. Os filhos perderam a referência de respeito pelos seus pais. O professor não tem o controle de seus alunos.

O que fazer?

1- É importante conhecer individualmente seus educandos. Observá-los e traçar o perfil de trabalho mais eficaz. Exemplo: ele ouve, enxerga e fala?

2- Praticar a pedagogia do amor, do afeto e da unidade, com motivação e inspiração é uma saída inteligente para o resgate social.

3- Desenvolver atividades com dinâmicas criativas e lúdicas, é potencializar inteligências múltiplas.

4- Trabalhar a oralidade, é permitir que cada um tenha a chance de expressar os seus sentimentos e dons, além, é claro, de manter a auto-estima em harmonia.
5- Criar estímulos de leituras e desenvolvê-las todos os dias, é alimentar o mestre que existe dentro de cada um. (Mas necessita-se de leitor adulto como referência).
6- O fracasso ou o sucesso do ser, depende em boa parte do que tem para oferecer na base, o titular da construção, se auxiliarem-nos a pensar.


7- A alfabetização lúdica favorece a aquisição da linguagem escrita. Exemplo: A tabuada brincalhona pode servir de referência e estimular a memória na construção do raciocínio lógico. Dividir os alunos em grupos e, brincando, um grupo toma aleatória a tabuada do outro. É pouco, mas havendo comprometimento, serão observados os resultados. Auxiliar o aprendizado, é uma dádiva, coibir um desmando.

8- A proposta pedagógica é muito importante, se houver a capacitação dos professores, principalmente do jardim três a quarta-série.

9- Mudar é preciso. Mas quem precisa mudar? O aluno, o professor, ou a proposta de ensino?

10- Jogos pedagógicos podem ajudar em muito a inteligência múltipla do aluno. A começar pela concentração, estimula o pensamento critico com lógica, melhora a noção de espaço e aguça à administração da melhor estratégia.


Por fim, educar é uma forma viva de compartilhar os conhecimentos, sem escravizar o pensamento. É permitir que a experiência contribua na construção plena do ser.

Não existe um único ser que não tenha nascido vencedor.



Josias Alcantara é coordenador pedagógico da Luxdere Editora, é poeta, trovador, escritor, professor de oratória, palestrante motivacional e radialista. Tem cinco livros editados: Raízes da Esperança, Raízes do Otimismo, A Força da Liberdade, Jardim do Trovador e A Magia da Expressão Verbal pela Editora Juruá


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui