Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (653)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (204)  
  Pensamentos (642)  
  Poesias (2504)  
  Resenhas (129)  

 
 
Elixir do amor - A cura...
Michele Stringhini
R$ 34,90
(A Vista)



Ressurgindo do Nada
Rosângela Inês Renz...
R$ 21,55
(A Vista)






   > Menino sonhador



Luiz Antonio Polli
      CRôNICAS

Menino sonhador

O galo canta, o dia começa a amanhecer, nas árvores os pássaros davam suas primeiras cantigas, com isso, o humilde menino do interior acordava, levantava da cama, descalço, rapidamente ia à bica lavar o rosto, pegava seu lampião e ia para o paiol, enchia o balaio de espigas de milho, arrastava-as até a porta do paiol e as jogava nos cochos para os gados que ficavam fechados no mangueirão, depois, ele passava e tratava os porcos até chegar ao galinheiro, pegava as espigas de milho e as debulhava com suas próprias mãos, e então, jogava o milho para as galinhas. Voltando em direção ao paiol já com o balaio vazio, ele ia abrindo a porta do galinheiro para as galinhas saírem ciscar, passando pela encera dos porcos soltava-os para eles irem se espojar na poça de lama, abria a porteira do  mangueirão e os gados passavam, parecia que eles iam atropelar um ao outro, e pelos pastos do potreiro, eles saiam correndo.

O menino do interior, sonhador, pegava a cariola e sua pá e limpava as fezes da mangueira, levava as na horta onde deixava para que sua mãe pudesse usar nos plantios. Correndo, ele passava pela bica para poder se lavar, entrava, tomava café, pegava seu caderno, e com muito cuidado o colocava dentro de um pacote de arroz vazio, pois essa era sua mochila, subia em sua bicicleta e pedalando rapidamente ia para a escola, menino sonhador, queria ser advogado, para ajudar a sua família, ele era cheio de sonhos e isso fazia a sua emoção crescer a cada dia.

Certo dia ele chega em casa, encontra a sua mãe chorando com seu irmãozinho no colo, se aproximando pergunta o que está acontecendo e sua mãe mal podendo falar, diz:

- Seu pai nos abandonou, fez as malas e foi embora.

Pobre menino, apegado ao pai, não sabia o que estava acontecendo, com os olhos cheios de lágrimas, permanece no lugar, pois ficou sem ação.

A situação cada dia ia ficando difícil, o menino sonhador teve que abandonar os estudos e ir trabalhar o dia inteiro na lavoura para ajudar no sustento da casa. Os anos passam, mas seu coração continua puro e sem maldade. Um dia, capinando com seu irmão debaixo do sol quente, ele olha para o irmão e fica observando e diz:

- Você tem vontade de estudar?

- Sim...

- A oportunidade que eu não tive você vai ter, vou fazer de tudo para você se tornar um grande profissional formado.

E assim, o menino cresce, trabalha na lavoura, se torna homem, e com o suor do seu trabalho ajuda seu irmão a se formar, e com isso, o sonho que ele não conseguiu realizar, ele presenciou na alegria de seu irmão.

Quantas vezes passamos por uma situação parecida com a do menino sonhador, de lutar por um sonho e chegar a uma etapa da vida e termos que abrir mão dele por imprevistos. Temos muitos sonhos, mas, feliz de quem abre mão do seu sonho para ajudar o próximo a realizar o dele...



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui