Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (202)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2496)  
  Resenhas (129)  

 
 
OBJEÇÃO DE...
ALEXANDRE STURION DE...
R$ 36,10
(A Vista)



Depressão na...
Josiane Rosa Campos
R$ 31,70
(A Vista)






   > O conhecimento escolar e seus desafios



Marislei de Fatima Dias Gasparin
      ARTIGOS

O conhecimento escolar e seus desafios

O conhecimento escolar e seus desafios.
Um dos maiores e angustiantes problemas enfrentado pelos professores nos dias de hoje esta expresso muitas vezes nas seguintes frases. “Não adianta! Eu desisto! Ele não aprende! Eu explico quinhentas vezes a mesma coisa, mas ele não entende” e assim por diante. Ou então tentando justificar as dificuldades de aprendizagem e o fracasso das provas escolares. Eu explico, explico, mas ele não consegue gravar nada. Esses alunos não tem base familiar, não tem estrutura emocional, não tenho a quem recorrer! Por isso não consigo dar o conteúdo que planejei, quando preciso dos conteúdos já trabalhados ele não lembra mais, se preciso de conteúdos trabalhados no ano passado ele diz que a professora não explicou direito, que a aula era muito chata, ou então responde que deve ter faltado a essa aula. A busca por culpados esta sempre à frente, o professor reclama que os alunos de hoje não querem saber de nada, são indisciplinados, não tem estrutura familiar, vão para a escola somente para comer e fazer bagunça e também para sair de suas casas. Do outro lado estão os alunos jogando a culpa nos professores dizendo que a matéria é difícil, que o professor não sabe explicar nada, que é ruim ou muito bravo, que seu conteúdo não tem utilidade, que o professor deveria estar em outro lugar e não na sala de aula e assim por diante.
Percebe-se claramente a necessidade de eliminar ou fugir desse círculo vicioso de acusações que ultimamente faz parte do fracasso escolar. Portanto é preciso analisar o processo do conhecimento proposto na perspectiva de ensino, buscando indicar caminhos alternativos para uma nova relação de ensino e que leve a uma aprendizagem eficaz. Dentro desse novo conceito deve se levar em conta o conhecimento que o aluno já tem e que trouxe para a sala de aula, esses são fundamentais para a aprendizagem de novos conhecimentos. Cada aluno tem a sua vivencia que lhe permite formar ideias do seu meio social através de suas próprias experiências e isso justifica a linguagem utilizada em seu grupo social e em suas atitudes.
A escola tem como função propor um novo conjunto de saberes e não eliminar aqueles que o aluno já adquiriu ao longo de sua existência. Esse saber dever ser selecionado pele escola e, portanto é diferenciado daqueles saberes que o aluno adquiriu socialmente. Para tal função é preciso que o professor conheça as características psicossociais e cognitiva de seus alunos.
O professor precisa ser sensível aos conhecimentos que o aluno trouxe de sua vida social, precisa fundamentar o contexto de vivencia do seu aluno, com isso poderá transmitir os conhecimentos proposto pela escola, dessa forma seu ensino poderá ser eficiente e eficaz. Conhecendo as características psicossociais do aluno o professor saberá usar uma linguagem contextualizada e adequada e assim o aluno entendera quando for questionado.
 E finalmente o professor deve conhecer o papel do mediador no processo de ensino aprendizagem, pois hoje não bastam saber matemática, língua portuguesa, conhecimentos gerais e falar bonito, isso é necessário, mas ainda não é o suficiente, hoje se faz necessário que o professor conheça as tecnologias de intervenções pedagógicas que possibilitam melhores condições para que o aluno aprenda. Essas condições estão ligadas as características dos alunos de hoje, dos conteúdos e também do próprio professor.
REFERENCIAS
FERRARI,A.,Adolescência: O segundo desafio. Casa do psicolo, 1996
BLOS,P.Adolescência: Uma interpretação psicanalitica.São Paulo, Martins Fontes 1994.

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui