Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (204)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2501)  
  Resenhas (129)  

 
 
Geométricas-02-179
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)



Enquanto o Coração de...
Douglas Renato Palmeira
R$ 58,00
(A Vista)






   > Contra o Racismo



Edson Tressmann
      PENSAMENTOS

Contra o Racismo

Contra o racismo
 
         No dia 10/03/2014 no site () foi publicado a reportagem sobre o uniforme que seria usado pelosárbitros na competição Copa do Brasil. Segundo a reportagem o uniforme terá uma mensagem contra o racismo. A CBF divulgou a foto da camisa com os dizeres 'Somos Iguais' no lado direito do peito.
         “Somos todos iguais” – será que estamos conscientes dessa verdade?
         Com a leitura do texto do evangelho de João 4. 5 - 26 aprendemos uma preciosa lição de Jesus na beira de um poço: Somos todos iguais. Nossa igualdade não está apenas no lado direito do peito, mas também porque “todos” necessitamos da mesma coisa.
         Tendo necessidade, Jesus deseja suprir a mesma. Para isso, fala sobre como oferecer e dar àquilo que “todos” necessitam. Para que “todos” “conheçam o dom de Deus e peçam água viva” é necessário quebrar barreiras. Barreiras que muitas vezes parecem ser intransponíveis.
         No Evangelho de João capitulo 4 versículos 5 a 26 vemos Jesus oferecendo a água viva a uma mulher samaritana. Para que Jesus oferecesse a água da vida foi preciso transpor algumas barreiras. Vejamos:
v. 9:...como, sendo tu judeu, pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana...barreira racial.
v.18:...porque cinco marido já tiveste, e esse que agora tens não é teu marido;...barreira social.
v. 20:Nossos pais adoravam neste monte; vós, entretanto, dizeis que em Jerusalém é o lugar onde se deve adorarbarreira religiosa.
Também a barreira cultural, v. 27: “...chegaram os discípulos e se admiraram de que estivesse falando com uma mulher;...
 
         “Somos todos iguais” – será que estamos conscientes dessa verdade diante da barreira racial, social, religiosa e cultural?
         O Brasil é um país continental. Somos agraciados por Deus por ter num mesmo país diferentes raças, climas, vegetação, culturas e tradições. Louvemos a Deus por essa variedade de coisas impressionantes!
         Infelizmente, conforme escrito pelo apóstolo Pedro “...nosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar” (1Pe 5.8), está nos devorando através do racismo e da indiferença.
         A maravilha em ser um país continental, extenso, variado, traz consigo o desafio da superação de muitas barreiras culturais, sociais, religiosas e raciais.
         Ao dizer que somos todos iguais, precisamos encarar o preconceito de muitos para com a igreja?Muitos têm um pré-conceito formado de que evangélico é alguém de outro mundo, pois está sempre fora desse mundo.
         Deixemos esse assunto para outro momento. Minha ocupação e preocupação é justamente com vocês que são evangélicos e católicos.
         É necessário dizer que a Igreja está inserida em vários contextos. Cada local requer uma readaptação, aculturação. Isso nem sempre é fácil. Algumas vezes, a dificuldade é não conseguir e nem buscar desvincular-se de uma tradição, seja racial ou eclesiástica. Outras vezes, a dificuldade está em não conseguir aculturar-se.
         Nesse imenso Brasil, composto por vários Brasis, congregações foram levadas por àqueles que buscaram fazer suas vidas em novos lugares. Algumas dessas congregações se adequaram ao local onde foram inseridas, outras infelizmente não conseguem ultrapassar velhas barreiras.
         Não há problema em ser uma igreja de sotaque alemão no nordeste brasileiro. Somos enviados para acolher e integrar os que não possuem sotaque alemão. Assim como a minha cultura é importante e tem o seu valor, a cultura do outro também tem o seu valor e merece meu respeito.
         A palavra Missãonão significa “missa grande.” A palavra Missãovem do latim “missio” e significa “enviar.” A Igreja cristã, composta por santos, ou seja, os que creem em Jesus e se reúnem em congregações, é enviada para o mundo. Como enviada, a Igreja oferece o Dom de Deus. Não que o Dom de Deus seja de propriedade da congregação, mas através da atuação da congregação pelos meios da graça, Batismo, Santa Ceia e Pregação da Palavra, oferece e dá o Dom de Deus.
 
Edson Ronaldo Tressmann

(44) 3462 2796
Publicado na integra  em   no dia 18/03/14



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui