Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (204)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2501)  
  Resenhas (129)  

 
 
SÓCRATES: o filósofo...
Kairon Pereira de...
R$ 26,80
(A Vista)



O vendedor de cocadas
Airo Zamoner
R$ 17,40
(A Vista)






   > A VOLTA DE PITOCO*



Elisabeth Silva de Almeida Amorim
      CRôNICAS

A VOLTA DE PITOCO*

     O que faz o ser humano desistir dos seus sonhos? Pitoco, um garotinho gago, com apenas 10 anos de idade não podia continuar sendo vítima do bullying por muito tempo. Depois da oficina “Práticas de Leituras e Escritas” realizada com professores iaçuenses muitos cartazes de conscientização sobre o problema enfrentado pelo garoto foram divulgados. Muitas pessoas aderiram a campanha de combate ao bullying nas escolas. E como educação é uma troca constante, a campanha chegou até os estudantes do Colégio Estadual Lauro Farani... Veja o rebuliço que o caso “Pitoco” causou na escola.
          –Gente! Vocês ouviram a história daquele menininho que sofria bullying?  Precisamos fazer algo, afinal assim como aconteceu com ele poderá acontecer com qualquer um de nós... Disse Turma A.
          – Você tem razão Turma A, não podemos ficar de braços cruzados enquanto o bullying acontece. _ Responde Turma B.
            Agro que ia passando no corredor, ouviu a conversa e solícito oferece ajuda. Pois queria também participar da campanha contra o bullying. E acrescenta um dado novo:
     – E tem mais, fiquei sabendo que o Pitoco está depressivo por causa da surra que levou da mãe... Quem me contou foi Vespertino...ou foi Noturno? Não sei bem, mas um deles me  contou...  E eles também estão dentro da campanha... Acham que o bullying só faz aumentar a desigualdade...
      – Surra?! Meus Deus!  Esse fato é novo, eu não sabia.  O coitado é  violentado e ainda apanha... Disse Turma B.
      –Eu soube que ele deixou um bilhete para a mãe... Fala a Turma A.
    – Onde está esse bilhete?! Queremos conhecer... Coitadinho! Agora até eu fiquei com pena de Pitoco. _ Responde Turma B.
        –Ah, falei com Noturno A, Noturno B e Vespertino A, B, C... sobre a nossa intenção. Todos disseram que podemos contar com eles. Pois, também não são a favor do bullying. E já me informaram que tem uns desenhistas lá. Se precisarmos de imagens eles farão para a gente!
       _ Nossos colegas são dez! Tá todo mundo tímido com o início do ano, mas acordamos para fazer o bem. Tem João Amaro também, pessoal! Responde sorrindo Turma A.
       _ É mesmo, João Amaro com certeza irá participar da nossa campanha contra o bullying, porque João Amaro já sofreu tanta discriminação. Quem já sofreu bullying sabe do que estamos falando. Responde Noturno B.
      _Pessoal, vocês viram os sermões que fizeram para ajudar Pitoco? Não sei se foi Matutino, Vespertino ou Noturno mas estão maravilhosos. Nós estamos no caminho certo. Agora, vamos mostrar a força jovem de estudantes de escola pública. E ai, quem conseguiu o bilhete?
 
        _Está aqui. Ouça o bilhete que Pitoco deixou para a mãe...
     
     “ Mãe,
Sinto muito  desistir de estudar, sei que é importante os estudos...Mas, ir para a escola estava se tornando um tormento, os outros alunos e os funcionários caçoam de mim, porque sou gago. Depois de ler as cartas e cartazes resolvi tentar novamente.
Aquela surra foi desnecessária!
                Pitoco”
     
_ Oh, coitadinho! Foi desnecessária mesmo!
Bem, ele precisa sentir que é amado. Foi o que a equipe médica disse. E nós também vamos mostrar a nossa  solidariedade, vejam esses cartazes que já fiz, disse Agro. E abre uma cartolina com as frases:

     “ VOLTE AMIGO!
      Escola é um dever e direito de todos...
      Saudades...
      Volte, Pitoco!”

   _ Legal! Vocês sabiam que Pitoco também deixou um bilhete para a escola?
       _ Para a escola?! Conte para a gente, Agro, conte!
       _Certo, vou ler em voz alta, mas silêncio, por favor!
    _ Cale a boca! Agro quer falar!  Sorrindo, Noturno  A faz todos ficarem em silêncio.
 
      “ Cara Instituição
Venho por meio desse bilhete comunicar a minha saída da instituição por motivos emocionais e psicológicos. Há muito tempo tento conversar com o professor, mas não consigo por causa da minha gagueira. Por isso sofria bullying por parte dos colegas e de alguns funcionários da escola por conta do meu problema fonológico. Sinto-me triste, isolado e sem vontade de viver, pois desde que sair da escola, minha mãe não recebe o auxílio bolsa-família.
Por favor, desejo verdadeiramente voltar a estudar, mas não encontro uma forma de amenizar a situação sem ajuda de todos, por falta de conscientização dos indivíduos ativos da instituição.
Desde já agradeço,
Pitoco”
 
     _ É gente, Pitoco está pedindo socorro! Fala comovido Noturno B. Não sou muito boa para fazer isso, mas vou deixar um recado para esse garoto. Claro, já vi esse texto em algum lugar, mas o importante é a intenção de ajudá-lo...

     “ Querido Pitoco,
Alguns amigos são feitos de papel. RASGAM!
Outros de ferro. ENFERRUJAM!
Outros são mágicos: DESAPARECEM!
Mas, existem amigos de ouro, brilham, brilham e não se esquecem...
Assim como você, Pitoco, não se entristeça por qualquer coisa, a verdadeira coragem é ir atrás dos seus sonhos. Mesmo que todos dizem que ele é impossível, não creia. Siga em frente”

     _ Bacana! Tomara que Pitoco nos ouça! Eu ouvi dizer que ele se emocionou com  a carta do professor... Provoca Noturno A. 
     _ E o professor escreveu também, foi?  E quem tem essa carta? Indaga Turma B.
     _ Nem olhe para mim. Diz Agro.
    Turma A  com todo charme e simpatia, disse;
_ Eu tenho a carta! Vejam:
     
“ Iaçu, 12 de fevereiro de 2014

     Prezado Pitoco,
 
     Venho através desta carta pedir desculpas em nome de toda a escola. Reconhecemos o quanto  nossos atos foram inconvenientes e estamos profundamente arrependidos. Pois só agora, após uma longa reflexão, percebemos que principalmente nós, professores, deveríamos ter orientado seus colegas a aceitá-lo melhor.
     Lamentamos o triste rumo que tomou sua presença na escola, e finalmente chegamos a conclusão que precisamos de palestras sobre o preconceito, fazer mais reuniões para que isso não volte a acontecer. Por isso pedimos que você colabore, pois percebemos que você é um grande exemplo dessa desigualdade ridícula que cometemos.
     Contamos com a sua presença em nome de todos, convido para que volte para a escola, dessa vez prometemos fazer diferente. Sua presença é indispensável!

      Professor”
 
      _ Uma coisa que me deixou emocionada _disse Matutino B _ foram as poesias que a mãe de Pitoco fez. A coitada praticamente aprendeu a ler e escrever há poucos dias, mas para tirar o filho do estado depressivo arregaçou as mangas  e...

     “Minha felicidade
 
Filho querido e amado
Sei que estás magoado
Mas quero que tu saibas
O quanto sinto tua falta.
 
Fui insensata, eu sei
Agora enxergo o quanto errei
Isso me motiva a dizer
Quão grande é meu amor por você!
 
Quero com essa poesia
Ter de volta a minha alegria
Anseio somente o perdão
Pois, já tens meu coração!
      Mãe”
 
     Quando a mãe de Pitoco soube que ele havia se isolado... Voltou a escrever para ele:
 
“ Filho não fique isolado...
E para eles não dê bola,
Vou estar do seu lado
Por favor, volte para a escola.
 
No meu tempo não estudei
Mas, educação sempre lhe dei
Não importa se você vai gaguejar
Estudando terá um futuro
E melhores condições também você terá.”
 
_ Garotas, me falaram que as duas equipes médicas chamadas não conseguiam entrar num acordo quanto a medicação indicada para a criança. Enquanto uma equipe defendia que o problema de Pitoco poderia ser resolvido com “ Fazer o máximo de amigos, conversar com as pessoas, sair com quem você gosta, não desistir de estudar, saber impor e não deixar ninguém lhe magoar, e nunca pensar em desistir dos objetivos”. A outra fazia questão de prescrever a receita assim:
     
“ 5 doses de leitura
6 doses de felicidade
4 doses de incentivo
10 doses de coragem
10 doses de confiança
7 doses de companheirismo
 
•    Tomar todos os dias ao acordar, as 4 doses de incentivo, 10 doses de coragem e 10 de confiança. Após o café da manhã, tomar 5 doses de  leitura, logo depois, 6 doses de felicidade.
As pessoas ao seu redor, devem tomar 7 doses de companheirismo todos os dias, unido-se a Pitoco para construir um mundo melhor.”
 
     De repente chega Turma A arrastando um papel enorme, chamando a atenção dos demais colegas...
     _ O quê é isso?  - Questionam Vespertino e Noturno.
  _ Um abaixo-assinado! Nós conseguimos várias assinaturas repudiando o bullying nas escolas.
    _Perfeito! Vocês não sabem o que aconteceu? Fala Turma B.
     _ Conte! Conte!
    _ O nosso movimento anti-bullying ganhou uma proporção tão grande que já recebemos apoio de instituições de outras cidades  que também entram na campanha para ajudar Pitoco. E o bom é que nós estamos usando a internet para propagar conhecimento... Quantos gêneros textuais estamos trabalhando?
     –Viva Pitoco! Viva Pitoco! E ele deixou um novo bilhete... Dessa vez ele pediu ajuda a madrinha...
       –  Novo?! Para quem? Nós fizemos a nossa parte...
       – Ei, fique quieto, e ouça:
 
            Pessoal,
Fiquei feliz com a manifestação de carinho recebida, primeiro, os professores municipais depois vocês estudantes do Colégio Estadual Lauro Farani. Que trabalho maravilhoso vocês fizeram!  Que bom que a internet está sendo usada para propagar conhecimento e incentivar a leitura e escrita literária. Realmente, eu havia desistido de estudar, fiquei no meu quarto trancado, sem ninguém para zombar de mim. Mas, solidão não resolve! Percebi que esse não é o melhor caminho. Vou seguir a orientação médica e com certeza irei superar todos os problemas da gagueira.  Diante do carinho de todos vocês, percebi o quanto tem pessoas boas no mundo, dispostas a fazerem algo de positivo para um mundo melhor. Por isso, agradeço a todos e mando um recado à minha pró:
O gaguinho está de volta!
                                                 Pitoco
 
 
 ____________________________________________
 
 * Texto à centenas de mãos... participação efetiva de estudantes de educação básica da cidade de Iaçu - BA.
                                        março, 2014
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui